casinha

14 de maio de 2017
Estamos fazendo uma mini reforma na sala aqui de casa. Nem sei se dá pra chamar de reforma, porque é praticamente só estético. Enjoamos das cores na parede (era a mesma desde que nos mudamos, 10 anos atrás), o sofá estava quebrado com um buraco negro que qualquer um que sentava ali nunca mais conseguia levantar, enfim... Estava precisando. Sem contar que, depois da reforma da sala de jantar anexa a essa, parecia que as duas nem pertenciam à mesma casa.
A única coisa que a gente tinha certeza é que queríamos um sofá confortável para ver televisão. Era essa a expectativa.
Realidade: compramos um sofá de couro gelado, duro que dói, usado e arranhado por um gato muito irritado. MAS É LINDO E ISSO QUE IMPORTA. É talvez o sofá mais adorável que já vi, podia ter vindo diretamente da casa de uma vovózinha para cá. Que é mais ou menos o que aconteceu, segundo o cara que nos vendeu. Eu chamo ele de sofá novo-velho, pois é novo mas já era velho.
Uma vez li num blog de decoração que a pessoa sempre optava por estética à praticidade. Ela alugava o apartamento dela e não podia instalar ar condicionado. Mas ela se recusava a comprar um ventilador de teto porque achava feio, então morria de calor. Eu posso dizer que eu estou quase no nível dela. Mas era um blog americano e tenho certeza que se a querida morasse num país tropical ia repensar suas escolhas.
Na verdade a minha sala é enorme e vamos acabar re-estofando o sofá que já tínhamos e mantermos ele, que apesar de estar estragado, é realmente bem confortável. Então vamos ter o sofá velho-novo, pois é o nosso sofá velho mas renovado. Significando que vão ter 2 sofás na sala, o novo-velho e o velho-novo. E os dois vão acabar saindo menos da metade do preço de um sofá novo. Cês já compraram sofá? É assustador os preços.
Lá de Portugal veio essa geladeira ovo, que foi companheira da minha mãe numa casa de estudante durante 6 meses. Ainda acho graça pensando na minha mãe morando numa casa de estudante.
Ela é tão bonitinha que foi parar na sala :) Mentira, é que não tem onde enfiar o trambolho mesmo.
E o meu terrário foi todinho transplantado pra uma bacia maior. Essa talvez seja a coisa que mais gosto aqui de casa. Tenho uma pontadinha de orgulho de pensar que começou com meia dúzia de mini cactus e agora virou essa florestinha. Ainda acho que ficou muitos espaços "em branco"/muita terra aparecendo. Considerei comprar mais algumas suculentas e plantar ali, mas sabe o que eu aprendi sobre plantas? Paciência é a chave, gente. Com o tempo, isso aí vai começar a crescer, se espalhar, ficar lindo e eu provavelmente vou ter que transplantar de novo pra uma nova bacia. Não tem problema se vai demorar 1 ano.
A sala ainda não está completamente pronta, mas quando estiver vou postar aqui. Tô bem ansiosa pra que termine e fique tudo incrível, do jeito que eu imagino :)

Abril 2017: o que teve

2 de maio de 2017
"O que teve" é um post que faço todo final de mês contando o que aconteceu nele. Clique aqui para ver outros posts da categoria. Cês me seguem no instagram?
Em abril teve muitas mudanças aqui na minha casa, o que incluiu muita busca por móveis específicos. Esse sofá, que eu chamo de novo velho porque é usado mas recém adquirido, foi encontrado num antiquário a preço de banana. Os quadrinhos adoráveis em outro. Não comprei nenhum deles, mas considero seriamente retornar pra comprar os quadros dos gatos HAHAHA, que coisa mais fabulosa <3 a dona do lugar me disse que esses gatos moravam no antiquário e viveram mais de 20 anos cada. ADORAVELMENTE CREEPY, quero fotos de gatos mortos que não conheci na minha parede SIM. Amei também o quadrinho das manas expulsando o boy do lar <3 não passarão.
Em outro antiquário encontramos essas obras de artes fabulosas. A primeira me lembrou O Jardim das Delícias Terrenas de Bosch, quadro que vi esse ano mesmo lá em Madri, no museu do Prado. Eu fiz essa referência na minha cabeça e pensei MEU DEUS EU SOU UM GÊNIO DA ARTE e estou aqui reproduzindo pra vocês também pensarem 'OLHA QUANTA REFERÊNCIA ARTÍSTICA', confesso. Na verdade só lembro desse quadro do Bosch porque tem altas putarias rolando nele, todo uma orgia num quadro de 1500, e eu achei isso muito divertido. REALIDADES. Esse urso enforcado, gente, apns quero. Aproveitei a animação de arrumar a casa pra fazer um terrário novo também :)
Em abril também foi a Páscoa, onde teve bolo com coelho escondido, muita comida e eu voltando rolando pra casa. Também teve eu brincando de boneca e tentando ensinar alguma coisa pra minha priminha sobre diversidade sexual.
Na escola de cupcakes teve muito doce delicioso, plmdds quanta coisa maravilhosa. Eu quase morro nas aulas, juro. E eu comecei linda de dieta, corajosa, na primeira semana bem confiante O QUEEE?? NÃO VOU COMER ISSO, CAPAZ, NÃO PRECISO DISSO, QUEM PRECISA DE CARBOIDRATOS? Daí quando começou os doces fabulosos eu já estava sonhando com piscinas de açúcar e desisti.
E teve eu estudando em casa porque ESTUDAR=FAZER DOCES e eu sei que vocês invejam minha vida. Daí inventei esse doce que é mousse de maracujá com base de biscoito de chocolate, calda de chocolate branco e trufa de chocolate amargo. Ficou muito bom, modéstia a parte, mas que parece uma teta, parece.
E já que estamos no setor comida, teve uma ida ao meu restaurante favorito que indico pra qualquer pessoa de Porto Alegre ou que venha aqui para visitar: Atelier das Massas. Teve também esse camarão empanado com molho de amendoim que minha mãe fez e COMO É BOM QUANDO EXISTE UM EMOTICON PERFEITO PARA A FOTO Ñ É MSM? O coração chega a ficar quentinho. Teve também essa xícara de mousse de maracujá que combina com ~a primeira vez que usei um maçarico~ e, meus amigos, ainda tenho certeza que aquilo vai explodir.
E NO SETOR DIA-A-DIA teve Pipeline sendo lindo com essa pichação que não sei se acho fofa ou completamente stalker porque fica na frente de um prédio que tem mais de 12 andares e considerei durante um tempo que a pessoa que escreveu aquilo escreveu na porta de alguém que ~ama~ e EU PESSOALMENTE iria na polícia se acordasse com uma pichação dessas na porta da minha casa que um boy fez pra mim. Aliás, cês conhecem essa música né? Eu odeio muito essa música hahaha. Teve também O DIA QUE OFICIALMENTE ESTAVA FRIO O SUFICIENTE PRA SAIR DE BOTA NA RUA e eu desencavei meu coturno e foi fabuloso. E teve o dia que eu pintei meus cabelos de rosa e roxo e ficou 10x melhor do que eu esperava e quanto mais desbota mais lindo fica. Encontrei minha cor, acho.
Já no setor ANIMAIS FABULOSOS, está este belo exemplar da raça pinscher que VENDE ANTIGUIDADES e eu não estou brincando: se alguém chega e fica um pouco mais tempo que o normal olhando as coisas em cima da mesa ele vai correndo chamar o dono. Teve também a Cornélia, gata do meu amigo que é a gata mais linda que conheço. E daí teve o gato do boy que conheci esse mês, esqueci o nome mas sei que tem 3 letras, algo tipo Bob, que é o gato mais lindo que eu conheço. E eu quero apresentar os dois porque sou louca e acho que eles seriam o casal perfeito.
No instagram também teve essa foto que eu achei muito bonita. É uma rua sem saída aqui pertinho de casa que também pode ser definida como: banheiro do Pipeline.
E essas duas fotos que são bem Porto Alegre, 2 lugares bem conhecidos da cidade. Basicamente abril foi o mês de amar Porto Alegre. Considero essa a melhor época do ano por aqui: não está tão frio, os dias estão lindos e dá muita vontade de ficar dando rolêzinho na rua e curtir a cidade :)

Paris Fashion Week me aguarda

17 de abril de 2017
Ando obcecada por essa camiseta de planetinhas da C&A. O problema é que ela é cropped. Por que as marcas andam fazendo tanta ~cropped~, pelo amor de Deus? Ou tem um monte de bonita por aí que se sente confortável em mostrar a barriga e eu não tô sabendo? Ou é tudo um complô da indústria da moda pra nos fazer usar cintura alta? Dúvidas. Eu uso ela com um shorts de cintura alta que me foi dado como pagamento pelo meu PRIMEIRO TRABALHO DE MODELO. Sim, finalmente me descobriram e minha carreira de modelo iniciou.
HAHAHAHA QUE VERGONHA. Essa sou eu, manas. Dá pra ver pelas minhas mãos tranquilas e relaxadas o quanto eu estava confortável com essa situação SQN. Plmdds isso faz 1 mês e tô com vergonha até agora. 
PARIS FASHION WEEK ME AGUARDA.
Faz tempo que não compro filme pra instax porque ainda não ganhei na mega sena, mas tirar fotos DELA, ah isso eu faço :) Tem algo mais adorável do que essa borracha em formato de gnomo? Queria levar ela pra todos os lugares e tirar foto dele no mundo, Amélie Poulain vibes. 
Essa foto é só pra mostrar esse caderninho fofo que reencontrei perdido nas minhas coisas :)

livros de 2016 #5

12 de abril de 2017
Fui lá resgatar a continuação dos livros que li ano passado e que ficaram faltando falar aqui. Em 2016 eu fiz tipo um ~desafio~ onde só li livros escritos por mulheres, caso você estranhe alguma coisa :)
Clique aqui para ver a parte 1 - parte 2 - parte 3 - parte 4. Eu tenho um perfil no Skoob.
17. A História Secreta - Donna Tartt
Descrição: "Quem conta a história é Richard Papen, garotão da ensolarada Califórnia que consegue ser admitido na seleta Hampden, uma universidade em Vermont freqüentada pela elite norte-americana. Richard imagina ter atingido o Olimpo ao entrar para o círculo mais privilegiado daquela universidade. Cinco alunos, sofisticados e originais, selecionados por um mestre erudito e carismático, dedicam-se ao estudo da Grécia antiga. A eles junta-se o narrador, para participar da busca da verdade e da beleza, entre festas orgiásticas e finais de semana numa antiga casa de campo, regados a muito álcool e discussões filosóficas. A loucura desmedida certa vez termina numa orgia cujo ponto culminante é um ato de violência inominável e o suposto aparecimento do próprio Dioniso, numa de suas diversas manifestações. Quando descobre a terrível verdade, Richard envolve-se numa cadeia de segredos e cumplicidades, num encadeamento de medos e inseguranças que leva o grupo a cometer um ato ainda mais terrível. Melancólico e irônico, este é um romance feito de terror e prazer, remorso e decepção. Com ele, Donna Tartt revelou-se uma grande escritora já em seu livro de estréia."
Li esse livro porque adorei O Pintassilgo e queria ler mais de Donna Tartt. Eu gostei de A História Secreta e li em uma sentada. O problema da história é uma coisa recorrente que eu sinto em muitos livros de ficção: muitas coisas extraordinárias acontecendo. Eu acho que uma pessoa tem uma cota de coisas extraordinárias que acontecem na vida dela, coincidências loucas, enfim... E em muitas histórias de ficção acontece MUITA COISA em MUITO POUCO TEMPO e eu fico meio 'tá, impossível.'. Quer dizer, eu sei que é ficção, mas gosto quando fica o mais próximo da realidade possível. Não quer dizer que não gostei, é só uma observação. Eu não faço sentido fazendo resenhas de livro, plmdds.

18. Harry Potter and The Cursed Child - J. K. Rowling
Descrição: "Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados."
MORTA, ENTERRADA, R.I.P! J. K. Rowling foi lá e fez outro livro pra gente e a gente ficou tudo louca. Daí a gente foi lá ler e era uma bosta. HAHAHA saco.
Na verdade eu confesso que não achei uma bosta. Só não era nada do que eu esperava. Não sei se é o fato de que é um roteiro. Não sei de nada. Foi muito emocionante ler aquele universo do Harry Potter de novo e eu parecia uma criança feliz quando ganhei um livro. Um amigo comprou pra mim de presente e me entregou num bar e eu comecei a ler ainda no bar. Juro. Mas no fundo eu acho que gostei só por causa disso: uma nostalgia, uma sensação de minhas preces foram atendidas e se sentir mal de não ter achado o livro tão bom assim PORQUE TEM UM LIVRO NOVO SABE. Pior se não tivesse. Muitos sentimentos, não sei como terminar essa resenha.
J. K. Rowling, eu vou te amar pra sempre, não fica magoada miga.

19. E O Vento Levou - Margaret Mitchell
Descrição: "Um relato apaixonante sobre a guerra civil norte-americana, a aristocracia sulista que ela abala e transforma, e a coragem de uma mulher que nunca se deixou vencer. Conheça a linda e tempestuosa Scarlett O'Hara e o irresistível Rhett Butler, que a ama ao longo de todas as suas provações. Conheça a doce Melanie, o honesto Ashley Wilkes e os muitos outros personagens que habitam a esplendorosa fazenda Tara." (que descrição bem horrorosa)
Depois desse post absurdamente longo que publiquei aqui preciso dizer que fiquei completamente obcecada por ele e ainda estou e eu amo esse livro e virou meu livro favorito.

20. O Talentoso Ripley - Patricia Highsmith
Descrição: "Tom Ripley sobrevive de trambiques em Nova York. Ele é especialista em forjar documentos, além de ter um talento extraordinário para imitar personalidades e características pessoais. Vive tentando escapar das investidas da polícia nova-iorquina, enquanto sonha com uma vida fácil. Certo dia, o milionário senhor Greenleaf o procura, supondo que Ripley seja um grande amigo de seu filho Dickie."
Mé. Não ruim, não ótimo. Queria catar uma nova Agatha Christie porque já li todos dela, mas não chegou nem perto. Mesmo assim, fiquei com vontade de ler a sequência. Interessante um romance policial da perspectiva do ~vilão~. 

21. A Estrutura da Bolha de Sabão - Lygia Fagundes Telles
Descrição: "Esta reunião de oito contos escritos por Lygia Fagundes Telles em épocas e circunstâncias diversas atesta não apenas a excelência da prosa da autora mas também a sua condição de notável "pesquisadora de almas", conforme a definiu o crítico Nogueira Moutinho.
Os protagonistas destas histórias encontram-se, em geral, numa relação crítica com as pessoas e ambientes que os cercam - e também consigo próprios. Secretos podres familiares, desenganos amorosos, vocações frustradas, o desejo extraviado, nada é confortável nessas narrativas descontínuas, que alternam descrição objetiva, discurso indireto livre e fluxo de consciência, num autêntico tour de force literário. A vida, parece nos dizer a autora, é frágil, fugaz e misteriosa como uma bolha de sabão."
Já falei por aqui que adoro contos e os que estão reunidos nesse livro são, pra mim, ~o topo da cadeia alimentar~ de contos. Eu vejo contos como aquela história sem fim, que consegue deixar você mirabolando toda a vida do personagem mesmo sem ter muitas informações sobre. Eu queria escrever contos. Eu queria escrever contos como a Lygia Fagundes Telles escreve.

22. Só Garotos - Patti Smith
Descrição: "Patti Smith se mudou para Nova York com vinte anos, no final dos anos 1960. Enquanto entrava em contato com parte dos aspirantes a artistas que partilhavam a atmosfera do 'verão do amor', conheceu sua primeira grande paixão - o futuro fotógrafo Robert Mapplethorpe, para quem Patti prometeu escrever este livro, antes que ele morresse de AIDS, em 1989. Tendo como pano de fundo a história de amor entre Patti e Mapplethorpe, este livro procura ser um retrato confessional da contracultura americana dos anos 1970. Muitas vezes sem dinheiro e sem emprego, mas com disposição, os dois viveram períodos de transformações - até mesmo quando Robert assume ser gay ou quando suas imagens consideradas ousadas começam a ser reconhecidas no mundo da arte."
Eu sou aquela pessoa chata que tem preconceito com coisas que fazem muito sucesso e daí quando finalmente dá o braço a torcer se arrepende de não ter dado uma chance antes. Foi assim com esse livro. Eu vi tanta gente falando dele por aí que já estava enjoada dele antes mesmo de saber do que se tratava. Aí acabei ganhando e fiquei me sentindo uma idiota por não ter lido ele antes. É um livro lindo, que conta uma história linda, forte e triste. Sensível. Tem um pequeno porém, porque eu realmente sou chata e adoro colocar poréns nas coisas. Patti Smith cita muitas pessoas que, se você está ligado na cena cultural nova-iorquina dos anos 60/70, provavelmente conhece. Mas euzinha melo não. E, sei lá, a maioria das pessoas acredito que não. Não chega a ser um problema, mas acho complicado ficar citando nomes de pessoas sem situá-las. Tive o mesmo problema com Yes, Please, da Amy Poehler. Não estraga o livro, mas eu fico me sentindo meio estúpida procurando nomes aleatoriamente no Google só pra saber de quem se trata.

Só Garotos foi o último livro que li em 2016 e lamento informar que no ano de 2017 até agora li o total de: UM LIVRO :~ eu culpo o netflix.

Random III

5 de abril de 2017
Tem gentes fazendo BEDA e eu aqui tentando postar pelo menos 1x por semana. Eu queria entender como funciona minha cabeça e porque às vezes eu posto tipo quase todo dia (exageeeero) e às vezes duas vezes por mês. POR QUE?
Tá aqui um post com fotos aleatórias pra preencher buraco :)
Aproveitando os últimos dias quentes pra usar shortinho (mentira tirei essa foto tipo em dezembro). Mas eu continuo usando shortinho na rua, embora esteja ansiosíssima para o frio. Eu sempre lembro de uma amiga que dizia que 'shortinho não era coisa de cidade' e sim de praia. Ela se sentia mal usando ~na cidade~ por causa dos olhares que recebia. VAI TER SHORTINHO NA CIDADE SIM. E SE RECLAMAR VAI TER MICRO-SHORTS, que é o que esse da foto é :)
Não consegui jogar fora essa garrafa de saquê que um amigo me trouxe do Japão, então virou vaso para flores :)
Achei esses degradês de aquarela que tinha feito um tempão atrás e escrevi bobagens neles :)
Adorei essa foto de umas florzinhas falsas que tenho no meu quarto. Foram bem baratinhas e acredito que ~agregam valor ao camarote~. Vendem em qualquer loja de 1,99 :)
Tecnologia do Blogger.
Back to Top