Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

5 cantos da minha casa

AVISO DE UTILIDADE PÚBLICA: A Tany, do blog Pale Semptember sugeriu que eu fizesse um sorteio com os marcadores do último post. Eu gostei de idéia, mas né gente, tenham em mente que os marcadores não são assim, uma Brastemp. Hahaha. Alguém se interessa? Provavelmente vou incluir mais alguma coisa, porque não quero que o primeiro sorteio do blog seja pãbre :~ já estou com outras coisas em vista, tudo handmade gente, não se emocionem! Hahaha. Então o que eu queria saber é: qual dos marcadores vocês preferem? A raposa, a coruja ou o coração?
Então, por favor, deixem nos comentários a sua preferência e o marcador que tiver mais votos vai ser sorteado :) (obs.: escolham a raposa, ela é a mais linda de todas! <3)
Retornando a programação normal...
1. Canto dos livros: aqui em casa tem um quarto sobrando e usamos de escritório/biblioteca/canto da costura (essa parte desde hoje de tarde hahaha). Quero um dia tirar fotos melhores do escritório, mas como é o cômodo mais frequentado da casa (a nerdisse vem de família, gente) está sempre uma bagunça. Mas eu hei de arrumá-lo e fotografá-lo! É tão lindo! Não os móveis em si, mas a quantidade de livros! Muito amor. Minhas amigas dizem que é a biblioteca do castelo de A Bela e a Fera Hehehe.
2. E aqui está o canto de costura!! Acho que está tudo aí, só falta eu aprender a costurar! Hahaha. Mas tenho um pote cheio de botões e tudo :) Por enquanto ainda é grego para mim. Mas quero tentar mexer nela esse final de semana mesmo. O meu problema é que sou muito desastrada e tenho medo de estragar a máquina! Hahaha. É possível, gente, eu garanto.
3. Canto do quarto da irmã. Invejo um pouco essa penteadeira. No meu quarto, optei por uma TV. Tudo uma questão de prioridades. Adoro esse espelho também, muito lindo. Dá pra ver como minha irmã é muito mais clean que eu, né? Hahaha. Nada nas paredes, tudo organizado em cima da bancadinha, sem nenhum badulaque... Um dia eu terei todo esse desapego visual!
 4. Canto do meu quarto. Contrastes. Hahaha. Não adianta, eu adoro uma poluição visual <3 o trequinho escrito "café" adquiri recentemente e ainda pretendo pintar ele e dar alguma utilidade. Por enquanto enfeita minha parede :)
 5. Canto assustador e nada aconchegante que vai pegar seu pé enquanto você dorme. Esse é o canto que eu menos gosto da minha casa. Ele fica bem na entrada e sei lá, tenho medo dele. Esse quadro, o santinho (padroeiro dos cozinheiros, lógico, para combinar com minha mãe), o abajur... Tudo meio... Dark, sei lá. E nesse lugar não pega nada de sol, é um cômodo sem janelas. Combine tudo isso com o fato de que moro num prédio que tem mais de 50 anos... E você tem certeza que se você abrir a cômoda vai sair o Jason e te pegar. Hahaha. Sério.

D.I.Y.: marcadores de página de feltro

Esse é o DIY mais tenso que já postei aqui no blog. Achei que deu bastante trabalho, mas fiquei super feliz com o resultado. Acho que pra quem tem hábito de costurar deve ser bem mais simples. São marcadores de página feitos de feltro <3 
Funciona basicamente assim: visualize dois triângulos colados um no outro apenas de dois lados. Eles formam um bolsinho, né? Nesse bolsinho entra o canto da página do livro. Muito fofo. Vi essa idéia no Pinterest, mas não encontrei a fonte de jeito nenhum...  Pelo que entendi, foi essa menina que fez. Ela não tem site. Como não tinha tutorial, fiz de "olho" mesmo.
Material necessário: feltro, linhas, agulha, botões, alfinetes e tesoura. 
Esses pedaços de feltro comprei em uma loja aqui em Porto Alegre chamada Atelier da Costura. Cada kit vem com 5 pedaços de feltro de cores e estampas variadas e custou uns R$ 5,00 cada. O resto eu já tinha aqui em casa.
Eu vou começar falando o que vai ficar óbvio quando vocês observarem melhor as fotos desse post: eu não sei costurar. Mesmo assim me meti a fazer isso. E achei muito tranquilo. Só um pouco demorado. Nas fotos que tirei, dá pra ver que a costura está toda torta. Mas esse é meu jeitinho eu sou assim e não me importo que não esteja 100% perfeito.
Claramente eu fiz de olho, né? Os meus recortes estão ótimos, um exemplo de coordenação motora. Hahaha. Recortei dois semi-corações do mesmo tamanho para o corpinho. Importantíssimo que ele tenha um ângulo de 90 graus, para caber no canto da página. Recortei também um bigodón para a "sobrancelha" da corujinha, dois círculos juntos e dois círculos separados um pouco menores que os primeiros para os olhos, duas meia-luas para as asas e um semi-triângulo para o bico. Primeiro, preguei o botão nos círculos soltos. Depois, costurei os círculos soltos nos círculos juntos. Aí costurei a sobrancelha e as asas em um dos corpinhos. Por cima, costurei os olhos e deixei o bico por último. Agora é o momento principal: você pega o corpinho que sobrou e costura apenas no "v" que o ângulo de 90 graus forma. Tã-dãn, uma linda coruja marcadora de página. Ok, linda não. Mas que está fofa, está. E né, o que importa é que foi feita com amor! Hahaha.
Olhem que lindo que fica no livro:
E aí que me emocionei achei muito sucesso meu primeiro marcador de páginas feito com feltro e decidi fazer outros. Mas queria fazer alguma coisa mais simples. Saiu isso:
Nem tirei fotos das etapas desse porque foi muito rápido: recortei dois corações e costurei os cantos. Sempre lembrando que tem que ter um ângulo de 90 graus!
E aí engrenei a fazer mais um, um pouco mais elaborado:
Uma raposinha! Fiz como na foto: recortei dois pedaços mais ou menos triangulares de feltro, um deles com orelhinhas. Também recortei duas formas que não sei explicar o que são (hahaha) para o fundo dos olhos e um mini triângulo para fazer o focinho. Costurei primeiro a parte branca dos olhos e depois preguei os botões e costurei o focinho. Por último, costurei a parte de trás apenas no "v" que o ângulo de 90 graus forma.
Certeza que esse é meu preferido! A corujinha e o coração foram rascunhos. A raposinha é minha obra-prima <3
Ah, queria aproveitar esse post para informar que ganhei uma máquina de costura e minha vida de arts and crafts fail vai mudar! Muahaha.

instagram pictures #4

Mais uma compilação das últimas fotos do Instagram. Meu username é lileord caso alguém queira me seguir, mas dá pra ver online aqui.
Com vocês... O Pipeline na versão 2.0! Sim, ele fez a Britney e raspou a cabeça novamente. Como vocês podem ver pela foto, ele está muito #chatiado em relação a isso. Ele estava com muitas pulgas #realidades uma alergia louca e está usando esse abajur aí (que se chama colar elizabetano, na verdade) para não se coçar mais. Eu acho ele tão fofinho assim, parece um ursinho de pelúcia que eu tinha na infância. Mas com esse abajur e o pelo curto, parece que ele foi atropelado... Hahaha. Quanta peninha do meu cão. Está tudo bem com ele, não se preocupem.
E aí que estou fazendo dieta. Faz exatamente 1 mês hoje e já consegui perder 7 quilos. Sucesso! E aí que comprei um tênis para fazer exercícios (quer dizer, ainda não comecei, mas hei de começar). E aí que fiquei chocada com a feiura dos tênis por aí, gente. Esse que comprei é muito feio. Mas juro que era o menos pior de todos. E tinham muitos. O que acontece com as marcas de esportes? Alguém no mundo quer usar um troço verde neon nos pés? Alguém concorda comigo? Hahaha. O livro de receitas "low-carb" serve de inspiração, agora que o carboidrato é meu arqui-inimigo.
Esses dias dormi na casa de um amigo e a noite foi regada a Gin Tônica e War Império Romano. Combinação perfeita. Eu ganhei uma partida, mas depois a Gin começou a fazer efeito e eu perdi. Hahaha. Mas perdi gloriosamente, faltando apenas dois territórios para vencer. Por mim esqueceria bares e festas e só teria noites assim... :)
E eu estou cada vez mais viciada no tão amado cafezinho da Nespresso. Essa máquina é a sensação aqui de casa. E essa xícara é a coisa mais fofa desse mundo. Não consigo não lembrar do Chip, a xícara de "A Bela e a Fera". Fico esperando ela fazer isso:
Em tempo: OMG não vou me sentir completa se eu não tiver isso na minha vida 
Quanto ao criado-mudo, isso foi uma coisa muito triste que me aconteceu: decidi pintar ele com tinta spray. Péssima idéia. Hahaha. Ele aparece em sua versão original aqui (na verdade tenho dois, mas só vou pintar um). Eu sei lá o que aconteceu: lixei e fiz tudo bem direitinho conforme li nos blogs de decoração. Só sei que escorreu tudo. Na foto até que não está tão ruim, mas pessoalmente está um horror. Mas a cor é legal. Vou mandar pintar em algum lugar especializado. Prometo colocar aqui :)

I like #17

1. minha talentosa mão direita: blog com tirinhas geniais, de autoria de Gomez. Só diz esse nome lá, não sei muito sobre ele. Não é atualizado o tempo todo, mas estou sempre entrando para ver se tem alguma coisa nova. Meus preferidos são o "Almas Iluminadas" e esse aí da imagem, "Adeus". Estão no final da página.
2. eu te dedico: gostei muito desse tumblr apenas com imagens de dedicatórias em livros. Muito legal. Alguns são dedicatórias sobre dedicatórias anteriores. Muito mais legal ainda. Um salve para quem teve essa idéia.
3. PSHIIIT: adorei esse blog com idéias de nail art, daquelas bem clean e usáveis. É tudo em françuá, mas nessas horas o tradutor do google chrome serve para alguma coisa. Hahaha. Essa da imagem achei linda. Claro que eu jamais vou tentar porque né, ia ser uma coisa expectativa x realidade, mas tem outras lá no blog que são super fáceis e usáveis. Às vezes é legal até para ter referências de combinação de cores. Nail art de bom gosto: eu apoio essa idéia!
4. POAxNY: como não amar a versão porto alegrense do Paris x New York? Não é atualizado há um milhão de anos, mas vale a visita. Eu sei que surgiram vários Alguma cidade x New York e que ficou meio batido, lembro de um de Buenos Aires que inclusive acho que indiquei aqui, mas o da minha cidade conquistou meu coração.

Louboutins...

Vou falar uma coisa pra vocês, Brasil. A coisa tá feia por aqui. A criatividade está tão em baixa que cheguei ao ponto de sair fotografando coisas completamente aleatórias para postar aqui. Hahaha. Blogueira fail.
Aí pensei em vir aqui pedir sugestões para vocês! Sei lá, o que vocês gostariam de ver? Ou que eu fale mais sobre? Alguma idéia? Ajudem uma blogueira em um bloqueio criativo. Desde já, agradeço :)
Não, eu não vim aqui falar só isso. Também vim aqui colocar as fotos aleatórias que andei tirando! Elas tem um tema: louboutins sapatos. Aviso de antemão que esse é um post sem nenhum glamour, sem nenhuma sola vermelha, sem nenhum salto 15.
Achei melhor começar pelo pior de todos e aí aos poucos ir aliviando:
Minhas alpargatas! Você pode até pensar: "ah, mas o que tem demais? agora é moda entre os hipsters.". Então tia Cacá vai contar uma história pra vocês. Já aviso que não se trata de prepotência minha, são apenas fatos: em meados de 2003 eu vi um óculos gigante em uma loja. Amei e comprei. Sofria bullying por causa dele. As pessoas me chamavam de moscão na rua. Sério. Aí 1 ano depois todo mundo começou a usar os "óclões". Aí um dia pintei as unhas com um esmalte verde. Todo mundo achava bizarro. 1 ano depois todo mundo estava pintando as unhas de esmaltes coloridos. Comprei uma Holga e todo mundo dizia que aquilo era inútil, que com a tecnologia das câmeras hoje em dia por que comprar uma câmera de plástico? 1 ano depois deu esse surto de lomografia. Aí fui viajar e trouxe uma jaqueta de couro (falso, gente). Todo mundo achava engraçadíssimo e perguntava onde que estava a minha moto. 1 ano depois toda porto alegrense que se preze tem uma jaqueta de couro. Gente, é sério, eu tenho milhões de exemplos desse tipo. A conclusão lógica que eu cheguei é: eu lanço moda em Porto Alegre. Hahahaha. Meu, isso é uma brincadeira, tá? Mas que os fatos são verídicos, são.
Então, eu sou desse tipo chato que sempre diz "ahhh, mas eu gostava antes de todo mundo gostar". E contei toda essa história para poder passar uma informação para vocês: eu não comprei essas alpargatas porque elas "estão na moda" e que sim, eu tenho elas há mais de 01 ano (3, na verdade). Ela não é uma alpargata como todas as outras. Ela foi mastigada por muitos cachorros. Ela fede. Ela anda sozinha. E ela é usada praticamente todos os dias. Significando que ela é a estrela dos meus looks "mendiga chic". Tirei uma foto do forro para vocês verem que tem coelhinhos trepando ali. <3
All Star também é o que uso todo dia, basicamente. O que mais uso é o preto. O vermelho com cano alto é para ocasiões especiais. Tipo Natal. Essa estampa é super natalina né? Eu não entendo porque as pessoas compram All Star's (COMO FUNCIONA O PLURAL DISSO?) modernos. Acho o mais bonito de todos esse padrãozão aí. Mas ainda sonho com um de couro preto. Acho muito caro e que não vale a pena, por mais que eu adore a marca.
Na verdade, acho que o que mais uso quando tenho que estar apresentável são sapatilhas. Eu tenho várias., nenhuma muito especial. Preta com lacinho, preta sem lacinho, marrom caramelo com lacinho, marrom caramelo sem lacinho, marrom escuro com lacinho... esse tipo de coisa. A da foto adquiri recentemente e me apaixonei. Virou minha preferida. É da marca Zaxy. Paguei menos de 50 dilmas. Já tive outra sapatilha dessa marca e durou horrores. Apesar de serem de plástico, são muito mais confortáveis que as da Melissa. Vale a pena.
E aí que passei a vida inteira fugindo de rasteirinhas. Porque odeio meu pé. Ele é horrendo. Você acha seu pé horrível? Todos os pés são feios? O meu é pior. Garanto. E aí que no verão eu uso... bom... qualquer um dos sapatos acima. Eu uso Havaianas na praia tá, gente? Minha paranóia não chega a esse ponto! Hahaha. Ah, esse também é o motivo de eu não possuir sandálias. Já estou tão acostumada que nem sinto calor. Mas aí um belo dia encontrei em uma loja essa(s) rasteirinha(s). A azul, branca e vermelha. Tão americanizadamente patriota. Achei linda. Experimentei. Cobriu aquase metade do meu pé feio. Foi a primeira (e provavelmente última) rasteirinha que ficou bem em mim. Comprei. Vi uma igual, preta. Comprei também. Hahaha. Eu tenho esse problema, quando gosto muito de uma coisa quero levar todas as cores dela.
E essa é gloriosa botinha de sair. Sempre que saio uso ela. Tipo, sempre. Ela está meio acabada já. Mas ela vai ter que durar pra sempre. Na verdade fiz até um post especial para ela, já que ela mora no meu coração. Esse aqui.
É isso, post interessantíssimo e cheio de conteúdo not. Fico no aguardo de sugestões :)

as viagens da minha vida #1

Uma viagem em uma foto.
San Diego, California, 2006. Presente de 15 anos dos meus pais. Eu tinha duas opções: Disney ou festa de 15 anos. Não queria nenhuma. Consegui encaixar mais uma opção, com a desculpa de fazer um curso de inglês. Eu só queria ir para algum lugar com praia. Bizarro como hoje em dia essa jamais seria minha escolha, mas eu era surfer girl. Pipeline está aí como prova disso. Na agência de viagens me falaram de San Diego. Nunca tinha ouvido falar. Fui. Convenci um amigo a ir comigo. Meu amigo até hoje. Dos melhores. 
Parece que foi há 100 anos atrás. Os 20 reais que minha avó me deu para eu comprar "alguma coisinha lá". Na época 20 reais girava em torno de 8 ou 9 dólares. Guardei no lugar reservado na carteira para o dinheiro que ganhamos dos avós, aquele que você só gasta para alguma coisa muito importante. Lembro de não ter planejado absolutamente nada. De nem saber direito o que tinha em San Diego. Da preocupação dos meus pais em eu passar um mês sozinha, com 15 anos, em outro país. E eu não estar nem aí, só querer entrar no avião, uhul. E aí entrar no avião e pensar "Putz, agora f*deu. Ainda dá pra voltar atrás?".
Chegar nos Estados Unidos e descobrir que ainda tinha que pegar um voo de mais 6 horas. E ter que encontrar o portão de embarque num aeroporto que tinha até metrô próprio, de tão grande que era. E eu nunca tinha andado de metrô. Achar que ia morrer sufocada dentro do avião. O muçulmano da poltrona do lado que estava fazendo palavras cruzadas em símbolos. Chorar no banheiro, fingindo que era por falta de ar, mas na verdade era de medo. 
Chegar em Los Angeles. Sair do verão para chegar no inverno. As malas não chegarem. Encontrar uma das malas num cantinho, sozinha, perdida. Reencontrar minha amiga depois de 3 anos. Golden Coast. Parar num Mc Donald's. Ter que fazer o pedido sozinha. Pedir um "number one" e só responder "yes, yes, yes" para todas as perguntas da atendente. Descobrir que pedi tudo super size.
Chegar em San Diego. Conhecer minha host family. O pai americano gorducho de bochechas rosadas. A mãe mexicana que falava alto demais. Os quatro irmãos: o irmão mais velho que trocou meia dúzia de palavras comigo. A irmã mais velha. A irmã mais nova que era igual a menina do seriado The Nanny. O irmão pequeno que gritava o tempo todo. A Rosita, labradora preta. Não lembro o nome de nenhum deles, só o da Rosita. A Rosita dormindo na minha poltrona.
O primeiro dia de aula. Ter que fazer a prova para ver em que nível estava e entrar num nível muito mais baixo do que eu esperava. Finalmente encontrar meu amigo que foi comigo. Ficar fofocando com ele na aula inaugural e ficar xingando em português a professora que ficava mandando a gente calar a boca. Descobrir que ela era brasileira. Descobrir que íamos ser colegas.
Acordar todo dia as 6 da manhã. Dar de cara com o irmão mal humorado tomando café. Tomar café com ele, sem falar nada. Pegar 2 ônibus e 1 trem para chegar na escola. Sair da aula meio perdido, sem saber pra onde ir. Meu amigo que conseguia se guiar sem mapa. Eu que não conseguia me guiar nem com mapa. Entender o funcionamento das ruas e avenidas, em números em ordem crescente ou em ordem alfabética decrescente. Decorar os nomes das ruas de uma avenida que eu passava de ônibus porque todas tinham nome de doces. A casa da esquina da rua Marshmallow era rosa bebê. 
O shopping aberto de Downtown. Westfield. Frequentar aquele lugar muito mais do que deveria. Comprar jogos para o meu Super Nintendo. Voltar e descobrir que os jogos eram para Nintendo 64. Ir no cinema ver Brokeback Mountain e pedir um balde de coca-cola e um balde de pipoca. Comer tudo. Na saída comer comida mexicana. Voltar pra casa tarde da noite pé ante pé para não acordar a host family.
Comprar um skate. Descobrir um novo meio de locomoção. Ir a pé mesmo assim até a parada de manhã cedo com medo de acordar os vizinhos com barulho. Me esborrachar em uma lomba. Rir do meu amigo que andava de skate como se estivesse fazendo ballet.
Descobrir o Balboa Park. Passar a tarde inteira lagarteando no sol no gramado mais verde que eu já vi. Admirar as pessoas fazendo yoga. O cara que tocava sax. A senhora sinistra que só nós vimos. Levar outras pessoas lá e ninguém entender porque gostamos tanto do lugar. Voltar lá muitas vezes.
Descobrir La Jolla e um novo gramado para lagartear. O ônibus que levava até La Jolla fazia o caminho da costa de San Diego. O pôr do sol no mar. A caverna dos leões marinhos. O medo que eu tive deles. O Starbucks da rua principal, com vista para o mar. Andar de skate nas ruas que ficavam na beira do mar. Sentar a cada 10 minutos para observar os surfistas nadando com os golfinhos. O friozinho. O melhor sorvete do mundo. 
Encostar em um golfinho no Sea World e ele sorrir e falar comigo. Descobrir que eles tem uma textura muito diferente do que eu imaginava. Ver o show da baleia orca e me emocionar. Conseguir filmar o ápice do show. Ver pandas no San Diego Zoo. O ataque de bichisse que meu amigo teve quando viu o panda e ali eu tive certeza que ele era gay. Ele "não era". Agora ele é.
As pessoas que eu conheci lá e não mantive contato. Os brasileiros ilegais. O surfista bonito. Achar que os amigos que fiz lá iam ser meus amigos para sempre. Nunca mais falar com eles. 
Um cara belíssimo pedindo meu skate emprestado para me mostrar umas manobras e eu com medo que ele roubasse. Passar por ele outro dia e ele cair um tombo na minha frente de skate e falar, em inglês, "o que um cara não faz para chamar a atenção de uma garota" e eu não entender e continuar andando. Entender 5 minutos depois e querer voltar. Não voltar.
Alugar um Mustang conversível e ir para Las Vegas. Ser a co-pilota e ficar 4 horas na estrada sem ter a mínima idéia se estávamos no caminho certo ou não. Não poder jogar. Não poder beber. Achar os cassinos sinistros. Entrar em um cassino e não ter a mínima idéia de há quanto tempo estávamos lá dentro. A montanha russa que saía de cima de um prédio e descia até o chão. O medo que eu tive dela. A montanha russa que durava 25 minutos. O brasileiro que nos deixou andar nela 3 vezes sem pagar. A Torre Eiffel e a Estátua da Liberdade. O show de águas do Bellagio. Lembrar de um milhão de filmes. Gastar muito dinheiro em serviço de quarto. A viagem interminável de volta.
Tijuana. A festa mais legal que eu já fui. Pagar mais por ser menor de idade. Ter que sair no meio da festa porque a polícia entrou e depois voltar. A japonesa que foi com a gente dançar até o chão em cima do balcão. A japonesa vomitar na alfândega, na volta. A sueca que passou a festa inteira gritando 'yeaaah'. Os shots de tequila free. Os americanos fazendo a dança do robô. Os mexicanos fazendo street dance. O porto riquenho que me deu uma rosa, Joseamid. O policial da fronteira me olhando com cara de desaprovação. Achar que tinha perdido o passaporte. Achar o passaporte. Voltar de trem de manhã consolando a japonesa enquanto ela vomitava.
Chorar de saudade. Ficar 3 dias sem ir na aula deitada na cama porque só conseguia pensar em voltar. Meu amigo me consolando. Meu amigo dizendo que voltava comigo se eu quisesse. Descobrir que era TPM.
Ir no cinema do Westfield assistir "When a stranger calls" com o porto riquenho. Ficar com muito medo do filme. Joseamid rir da minha cara. Descobrir que ele era da Marinha americana. Achar demais. Descobrir que ele estava indo viajar para ficar um ano fora dois dias depois. Achar ruim. Perguntar se ele queria que eu fosse lá abanar pra ele com um lencinho do porto quando ele fosse embora e ouvir um não. Achar engraçado que ele levou a sério. Ganhar dele no joguinho de arminhas do Playcenter. Descobrir que ele deixou eu ganhar. Nunca mais ver ele.
Não aguentar mais ver meu amigo. Trocar de turma só para não ter que ver mais ele. Fugir dele na aula. Depois descobrir que era recíproco e ele estava fazendo o mesmo.
Se perder feio e acabar gastando 150 dólares de táxi. Pegar carona com um ser assustador até a estação de trem e não ter trem naquele dia. Dormir no chão do hostel de uma amiga porque não tinha como voltar pra casa. A comida fedida no frigobar da koreana que dormia no mesmo quarto que ela. Emprestar um livro pra koreana e nunca mais ver. Não pagar o táxi porque o taxista era brasileiro. Conhecer um americano que já tinha vindo a Porto Alegre.
O brasileiro que conhecemos na beira da praia que mentiu ser americano mas sabia português. Os brasileiros que estavam ilegais. Odiar esse grupo de pessoas. Odiar ter que confraternizar com eles.
Os últimos dias e a sensação de que nunca íamos ter uma experiência igual. A despedida da família e o irmão mais novo chorando muito. A irmã mais velha me dando o abraço mais apertado do mundo. Meu pai fazendo ovos com bacon pra mim. Receber um cartão de "best host sister". Perder o cartão. Roubar as chaves. Fazer um desenho do Aladdin para a irmã mais velha. O pai dizendo para mantermos contato. Nunca mais falar com eles. A despedida do Balboa Park. A despedida de La Jolla. O Greyhound Bus que pegamos de San Diego até o aeroporto de Los Angeles. O mexicano que estava sentado do meu lado com um saco enorme cheio de frutas fedidas e que ficava me encarando o tempo todo. Dormir durante todo o voo de volta. Gastar os 20 reais da minha avó no Mc Donald's do aeroporto de São Paulo. Finalmente chegar em Porto Alegre. Rever a família com um aperto no coração.
Mudar. Novos princípios. Novos ideais. Novos projetos. A compreensão de que existe um mundo muito maior do que o nosso quadrado. Parar de me preocupar com bobagens. Parar com preconceitos. Conseguir me comunicar em inglês. Conhecer novas culturas. Parar de sentir medo de tudo. Achar que nunca mais ia me acostumar com o Brasilzão de novo. Me acostumar em 1 semana. Nunca mais andar de skate. Perder todas as fotos em um desastre eletrônico. Crescer. Perceber que aquela viagem ainda reflete em muitas escolhas minha. Perceber que aquela foi uma das viagens da minha vida.

meme dos 11 #2

A Lohana (500 Words For Everything) me indicou para esse meme. Obrigada!
Eu já tinha respondido a esse meme, mas como faz um tempo e as perguntas mudaram vou fazer de novo.
Regras: 1. escrever onze coisas aleatórias sobre você; 2. responder as onze perguntas que a pessoa que te indicou lhe mandou e criar onze novas perguntas para quem irá mandar; 3. escolher onze pessoas e repassar esse meme e colocar os links dos seus respectivos blogs; 4. avisar os blogs escolhidos; 5. não retornar esse meme para quem te mandou; 6. postar as regras.


11 COISAS ALEATÓRIAS SOBRE MIM:
1. quando eu tinha 1 ano, aprendi a falar;
2. quando eu tinha 2 anos, quebrei o nariz da minha irmã derrubando um brinquedo em cima dele;
3. quando eu tinha 3 anos, eu tinha 1/3 - 1 da idade que tenho hoje eu já era péssima em matemática (gente, sério, não sei de onde eu cheguei nesse cálculo hahaha);
4. quando eu tinha 4 anos, aprendi a ler e escrever;
5. quando eu tinha 5 anos, entrei na primeira série;
6. quando eu tinha 6 anos, Renato Russo morreu;
7. quando eu tinha 7 anos, eu me mudei para uma casa;
8. quando eu tinha 8 anos, eu mudei de cidade;
9. quando eu tinha 9 anos, eu voltei para a casa anterior;
10. quando eu tinha 10 anos, eu já achava que era adulta;
11. quando eu tinha 11 anos, eu tinha metade da minha vida.

11 PERGUNTAS SOBRE MIM:
1. Porque,  como e quando o seu blog surgiu?
Meu blog surgiu em julho de 2011 com o objetivo de compartilhar um pouco de mim e das coisas que gosto.
2. Tem algo que você sempre carrega/usa que te dá sorte?
Não. Não acredito muito nessas coisas, na verdade. Mas tenho uma nota de 1 dólar na minha carteira porque dizem que traz dinheiro. Vai que funciona, né?
3. Qual o melhor filme/série/livro que você já viu/leu?
Filme: O Poderoso Chefão (todos).
Série: Huuum, difícil. Acho que Friends.
Livro: O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger.
4. Tem alguma música que te dê vontade de sair pelas ruas dançando?
Abba - Dancing Queen. Sério.
5. Frio ou calor? Por quê?
Frio. Porque calor é agonizante.
6. Um personagem de livro que você se identifica? Por quê?
Holden Caulfield, porque acho que tenho pensamentos muito parecidos com o dele.
7. O que mudou na sua vida de 5 anos pra cá?
Nossa, muita coisa. Ao mesmo tempo nada. Como explicar?
8. Qual a sua melhor lembrança da infância?
Acordar cedo no domingo para brincar com meus pais.
9. Se pudesse ser outra pessoa, quem seria?
Eu, com a conta bancária do Roberto Justus.
10. Se você descobrisse que tem apenas uma semana se vida, o que faria para aproveitá-la da melhor maneira?
Credo. Sentava e chorava. Uma semana. Hahaha.
11. Alguma coisa que não sai da sua bolsa?
Carteira.

como fazer um bolo colorido:


Faça colorido, comida colorida é amor. Tem que ser atômico. Coloque na batedeira 2 copos de iogurte natural, 6 ovos, 4 copos de açúcar, 6 copos de farinha, 1 copo de óleo, 2 colheres (chá) de essência de baunilha. Misture tudo até ficar homogêneo. Depois, coloque mais 2 colheres de fermento e mexa delicadamente com uma espátula. Separe 4 potes em 4 partes iguais de massa. Adicione corantes de cores diferentes em cada um. Pré-aqueça o forno em 180º e pegue duas fôrmas iguais de tamanho médio. Unte com manteiga e farinha e corte papel manteiga do tamanho exato do fundo. Já pode cortar 4 formatos, porque você vai assar 4 vezes. Despeje em cada uma das fôrmas um pote. Coloque para assar. Vai ficar pronto quando você colocar um palito e ele sair seco, mais ou menos 20 minutos. Cuidado para não abrir o forno nos primeiros 15 minutos, porque o bolo pode abatumar. Quando estiver pronto, desenforme e unte as fôrmas novamente. Despeje as outras duas misturas e coloque para assar novamente. Retire quando tiver pronto e desenforme. Espere esfriar.

Faça o recheio: bata 100g de manteiga até ela ficar cremosa. Aí vá colocando leite condensado enquanto ainda está batendo. Em fio. Coloque mais ou menos metade de uma caixinha. Prove. Está bom? Está pronto. Pegue alguma fruta gostosa. Eu usei morangos. Você pode usar mirtilos. Amoras. Tem que ser uma fruta assim, que eu chamo de bosque. Corte em pedaços pequenos e deixe reservado.
Agora você vai montar o bolo: uma camada de bolo, uma camada do recheio de leite condensado e morangos (ou a fruta que você escolheu). Continue assim, até acabarem as camadas. Cuidado para não fazer uma torre de Pisa. Tente deixar retinho. Tente não deixar com aspecto de "morro". Se ficar "morro" não tem problema, vai ficar uma delícia de qualquer forma. Coloque dois palitos de churrasco no meio dele para segurar.
O próximo passo eu acho que é o momento crucial: você tem que ajeitar o bolo. Aposto que na confeitaria eles tem um nome específico pra isso. Pegue uma espátula e coloque o bolo em uma plataforma giratória. Se você não tiver, não tem problema. É só colocá-lo em uma fôrma redonda. Aí você cobre o bolo com uma camada fina de recheio. Vá tampando os buracos aos poucos. Tente deixar o bolo inteiro liso. Para isso, segure firme a espátula na vertical do bolo e vá girando ele. Ele vai ficando lisinho. Depois de 5 minutos você pega o jeito.
Por último você faz a cobertura. A receita é a mesma do recheio. Fácinho. Só que usei muito mais manteiga, mais ou menos 300g. A dica para ver se está firme o suficiente é virar a tigela da batedeira de ponta cabeça. Se não cair, está pronto. Se cair, f*deu. Óbvio que quando você vai virando você consegue visualizar que vai está muito mole. Se não está endurecendo, coloque mais leite condensado. Sempre em fio, não esqueça. Quando estiver firme o suficiente coloque algumas gotas de corante. Rosa, por favor. Quem não se apaixona por um bolo rosa? Eu fiz com bico de confeitar, porque tenho bastante experiência com eles na minha fábrica de cupcakes. Mas você pode fazer com uma espátula mesmo, da mesma forma que você cobriu o bolo com o recheio, só que com mais cobertura. Coloque o recheio no saco de confeitar. Use um bico pitanga e vá fazendo estrelinhas. É só chegar bem perto do bolo, em ângulo reto, e apertar rapidamente o saco, soltando e puxando logo em seguida. Vai formar uma estrelinha. Faça muitas. Cubra  bolo todo com elas. Vai ficar lindo. Assim:
E aí você come:
E aí você vem aqui e me agradece por ter te ensinado a fazer essa maravilha dos deuses. Desde já, de nada.

holga pictures #5

Falei aqui que fiz uma oficina de lomografia esses dias. Era da #eulomoportoalegre. Eles não tem site, mas sei que tem página no Facebook. Se alguém se interessar, é só procurar lá. Não vou colocar o link aqui porque não tenho facebook então não sei ver. Hahaha. 
O que era? Uma aula sobre lomografia e um pouco de fotografia em geral. A professora tinha várias câmeras lindas e sabia tudo de lomo. Aprendi algumas coisas bem legais sobre foco e abertura. E aprendi a usar isso na Holga e na Diana Mini. Sim, elas são de plástico, mas elas tem essas opções (;
Recebemos uma câmera para usar na hora, um filme e a revelação (eu usei uma Holga dela, porque a minha já estava com um filme pela metade - terminei lá, mas ainda não mandei revelar -). E aí recebi as minhas fotos digitalizadas por e-mail. Saíram 10 fotos de 12, achei bem razoável. Com o tempo a gente se acostuma a perder algumas fotos...
Depois da aula saímos pelas ruas da Cidade Baixa (bairro boêmio de Porto Alegre) para tirar algumas fotinhos. O tempo estava meio feio, mas mesmo assim gostei da iluminação das fotos. Foi uma experiência legal. Estou louca para revelar os filmes da Diana Mini e da minha Holga. <3
Bala Xaxá aqui. Adoro essas casas antigas como a do fundo da foto. Um dia hei de ter uma.
Amei essa porta. O dono dessa casa estava no pátio e perguntou se queríamos entrar e tomar uma xícara de  café porque ele tinha uma árvore gigante no pátio do fundo que podíamos fotografar. Eu não fui, fiquei com medo do tiozinho. Sou dessas. Hahaha. O pessoal entrou e disseram que o pátio era genial, cheio de esculturas de uma antiga moradora. Chateada, queria ter visto.

instagram pictures #3

Continuo postando algumas fotos lá no Instagram. Meu username é lileord, mas dá pra ver online nesse site.
Foto da foto que ganhei em uma oficina de lomografia que fiz. Foi feita com uma câmera Diana + com Instant Back. Sim, é uma Lomo que faz fotos Polaroids. Genial. A câmera era da menina que estava dando a aula. Sou eu ali, com a Diana Mini da minha irmã, que levei para usar na oficina. Os efeitos e a borda são do app Vintique.
Na esquerda, as duas câmeras que levei. A Holga é minha, amo muito ela, mas não é muito prática porque tira apenas 16 fotos e o filme é super caro e chato de achar. Ganhei um lá na oficina e fiquei bem feliz :) Tem uma tag com algumas fotos que tirei usando ela aqui no blog. Clique aqui para ver. A outra câmera é a Diana Mini.
Na direita, uma foto de um filme que relevei recentemente da Diana Mini. Era um filme daqueles em escala vermelha, por isso está assim. Ainda não sei se amo ou se odeio. Tem que ver as fotos de pessoas com esse filme, parecem diabinhos. A foto que estou segurando é de uma casa aqui da minha rua. Nesse dia fotografei todas as casas preferidas da minha rua. Esqueci de pedir para digitalizarem as fotos, então estou querendo escanear e colocar direitinho aqui, em uma nova tag da Diana Mini. Veremos.
Duas fotos que tirei para testar o aplicativo Vintique. Amei esse app e me empolguei um pouquinho. Todas os efeitos das fotos desse post foram feitos nele. Minhas corujinhas e um cupcake, junto com meus livros preferidos. Eles apareceram nesse post. Esse pirata mora na minha parede e no meu coração. Na verdade ele é o primeiro de uma provável coleção de piratas de parede, porque olha, amo tanto ele e quero ter vários. Hahaha. Esse tem até um dente de ouro <3
Dia quente x dia chuvoso. A foto da esquerda é uma outra parte da minha vista que não mostro tanto aqui. Lindinha também, né? Gosto dessa coisa mais urbana, cheia de prédios... Na direita, o dia chuvoso acabou apagando o monstro de 5 braços que desenhei na minha janela, então tirei uma última foto do bichano. Descanse em paz, monstro. (:

meme literário de um mês (em um dia)

Vi por aí várias blogueiras participando desse meme literário do blog Happy Batatinha e achei bem legal... Aí quando finalmente decidi fazer, descobri que o prazo para terminá-lo é, bom... amanhã! Hahaha. Então é isso, resolvi correr contra o tempo e tentar fazer tudo em um dia. Que tal? O post vai ficar gigante e duvido que alguém leia inteiro, mas vai ser legal :)

Dia 01 – Que livro você está lendo? Sobre o que é? Onde você está? Você está gostando?
Estou lendo O Cemitério de Praga, de Umberto Eco. Fala da história de Simonini, um falsificador de documentos muito competente que realiza serviços para o governo. Todos os personagens do livro realmente existiram (exceto o protagonista), então dá pra imaginar que existem muitos dados históricos. Fico pensando quantos anos Umberto Eco não pesquisou para poder escrever uma história tão detalhada. Respeito muito isso. Mas posso falar? O livro é um porre. Estou lendo ele faz 4 meses. Acho que foi o livro que fiquei mais tempo lendo. A história não se desenrola. E o pior de tudo é que sei que não vou conseguir ler nenhum outro livro até terminar esse. E o livro se arrasta... Só de pensar que ainda tem umas 100 páginas (e gente, eu acho 100 páginas muito pouco, mas pra esse livro juro que vai ser o equivalente a 500) já fico com preguiça! Mas eu hei de conseguir (:

Dia 02 – Qual foi o último livro que leu e qual é o próximo livro que lerá? Fale um pouco sobre eles.
O último livro que li foi Maigret em Nova York, de Georges Simenon. Gosto de intercalar livros mais pesados com livros leves. Esse é bem curtinho, li em um dia e é bom para desopilar um pouco. Ainda não sei qual livro vou ler depois de Cemitério de Praga, mas provavelmente vai ser algum nesse estilo. Aí depois passo para um mais pesado: daí meu plano é ler Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez. Eu tenho um problema de cérebro cagado esquecimento, e por algum motivo tinha certeza que já tinha lido esse livro. Mas acontece que recentemente descobri que não li, porque uns amigos estavam falando sobre a história e me dei conta que nunca tinha ouvido isso na vida. Isso me acontece bastante, de começar a ler um livro e me dar conta que já tinha lido antes. Me acontece também de esquecer o nome dos livros que li, e por isso que esse meme está sendo um desafio! Acho que confundi com O Amor nos Tempos de Cólera. Esse tenho certeza que li (será?)!

Dia 03 – Como você escolhe seus livros? Por autor? Por assunto? Pela sinopse? Por uma indicação? Fale sobre isso.
Aqui em casa nós temos muitos livros. Tipo, muitos mesmo. E estamos sempre ganhando, comprando... Então tem muita coisa por aqui. É difícil eu ir numa livraria para comprar algum livro específico para ler, geralmente escolho um aqui de casa. O que eu sempre faço é ler as primeiras 5 páginas. Se eu me interesso, continuo. Se não, passo pra próxima. Não é um sistema muito bom, porque eu sempre me interesso nas primeiras 5 páginas, ou pelo menos fico me perguntando quando essa coisa vai ficar interessante e, bem... continuo lendo! Eu normalmente não me foco em nenhum autor específico ou assunto. Com o tempo, descobri que gosto especialmente dos livros de mistério, romances policiais... Mas não diria que são meus preferidos. Por exemplo, nenhum livro dessa categoria está em meus preferidos! Acho que gosto mais para passar o tempo, acho divertido.

Dia 04 – Você costuma lê certo livro só porque ele está em voga? Você é do tipo que lê o que todo mundo está lendo só para estar na “moda” ou segue o seu próprio estilo de leitura?
Olha, acho que não... Esses livros que bombam muito eu sempre passo, tenho preguiça da empolgação entorno deles. Depois que passa o furor em cima do livro, talvez eu vá lá e dê uma olhadinha. Outra coisa que eu não gosto é de ler livros que eu já vi o filme, por motivos de: já saber o fim da história. Como vejo mais filmes do que livros (sei que é vergonhoso, mas né) isso acaba acontecendo bastante também. E tem muitos "livros que estão em voga" que na verdade são filmes, logo...

Dia 05 – Você costuma ler graphic novels e/ou gibis?  Gosta? Não gosta? Tem algum que seja o favorito? Fale sobre isso.
Quase nunca leio. Não gosto nem desgosto, só nunca vai ser a primeira coisa que eu vou buscar em uma livraria. O meu favorito é um chamado The Last Unicorn, de Peter. S. Bagle. Ganhei de um ex-namorado e amei a história e as ilustrações. Esse mesmo ex-namorado tinha uma série chamada Spawn, que era sobre um herói mega dark e eu achava bem legal. Era bem comprido e eu sempre lia um pouquinho quando ia na casa dele. Mas aí acabamos e eu não pude mais ler. E é tipo super caro, jamais comprarei. Hahaha #fail.

Dia 06 – Um livro que todos deveriam ler pelo menos uma vez.
Sinceramente? Não sei.

Dia 07 – Você já pensou em escrever um livro? Se sim, sobre o que seria? Fale um pouco sobre o assunto.
Quando eu era mais nova, sim. Agora penso que não seria capaz.

Dia 08 – Cite um livro que você gostaria que nunca acabasse. Por que?
Prevejo cyber bullying: a saga Harry Potter, de J. K. Rowling. Hahaha. Ainda não superei, ok?

Dia 09 – O que você acha dessa “moda” de livros que acabam virando séries? É a favor? É contra? Não fede nem cheira? Diga o por quê.
Como não estou conseguindo pensar em nenhum livro que virou série no momento, não fede nem cheira para mim.

Dia 10 – Spoilers te assustam? Fica triste quando lê algum sem aviso prévio ou não faz diferença saber detalhes essenciais da história?
Sim, detesto. Gosto da surpresa na leitura. Se já sei, fico o tempo inteiro pensando como a história vai culminar naquele ponto x que eu vi em algum spoiler. Queria muito ser uma pessoa evoluída que consegue ler tranquilamente sem se importar com isso, mas infelizmente não sou assim. Hahaha.

Dia 11 – O que faz um grande escritor? O que faz um grande livro? Quais são as qualidades essenciais em ambos, na sua opinião, para que eles estejam entre os melhores?
O que faz um grande escritor é um grande livro. Para mim, o que faz um grande livro é a sensação de identificação que temos com ele, com os seus personagens, o que sentimos quando lemos...

Dia 12 – Você prefere livros narrados em primeira ou em terceira pessoa? Na sua opinião, o tipo de narrador pode influenciar a história do livro? Fale sobre o assunto.
Por mim tanto faz, gosto dos dois.

Dia 13 – Cite um trecho de um livro que você gosta.
"Ela é um raio de sol, uma mancha rutilante de alegria. É a poesia da vida no meio do realismo mesquinho. Nela, tudo encanta porque tem a inocência que a angeliza, e o sabor das coisas naturais que ainda não sofreram as deformações da sociedade... Clarissa é qualquer coisa de agreste e puro. Clarissa é música e é poesia. Menina e moça - olhos abertos para o mistério da vida, alma que amanhece." - trecho de Clarissa, de Érico Veríssimo.

Dia 14 – Você costuma frequentar bibliotecas? A biblioteca municipal? A da faculdade? Quantos livros costuma pegar? Fale um pouco sobre o assunto.
Quase nunca... Só a da faculdade, para leituras acadêmicas. No geral, uso a "biblioteca" aqui de casa e a "biblioteca" dos amigos (empréstimos <3).

Dia 15 – Se você pudesse escolher um único livro para ganhar/comprar até o final do ano, qual seria?
Helena, de Del Lang. A Del é blogueira também (Bonjour Circus) e ando muito afim de comprar o livro dela, mas estou meio pobrinha. O problema é que não gosto de ler livros digitais, então estou economizando para adquiri-lo :)

Dia 16 - O que te faz largar a leitura de um livro no meio do caminho? Que defeitos imperdoáveis um livro tem que ter para você abandoná-lo?
Quase nada. Só se leio alguma coisa que me ofende de verdade. Por exemplo: se o escritor é claramente racista e isso não está em um contexto dentro do livro. Se o livro é muito "sujo", com muitos palavrões ou gírias também perco a vontade de ler. Não sou nada puritana, mas perco o gosto de ler.

Dia 17 – Na sua opinião, qual é o propósito da literatura? Entreter? Educar? Ampliar horizontes? Fale um pouco sobre isso.
Tudo isso e muito mais.

Dia 18 – Você costumar ler e-books? Ou prefere o bom e velho livro em papel? Por que?
Não. Gosto do bom e velho livro impresso, com cheiro, textura... Acho isso besteira da minha parte, mas ainda não consegui me adaptar com algumas coisas que o mundo moderno nos fornece.

Dia 19 – O que você acha da elitização da literatura? Você acha que realmente só é intelectualizado aquele que lê os clássicos da literatura? Que ler 1000 livros “de banca” não equivalem a 10 clássicos? O que você acha das pessoas que criticam a literatura “para a massa”, os blockbusters literários? É mesmo possível julgar o nível de intelecto de uma pessoa pelo que ela lê? Você tem algum preconceito literário?
Acho que tenho algum certo preconceito sim. Não tem nada a ver com clássicos, não acho que uma pessoa que nunca leu um clássico perde seu intelecto, mas acho que a pessoa que vive só dos blockbuster literários (encaixo aqui aberrações do tipo 50 tons de cinza e crepúsculo) não deve ser um grande ser intelectualizado. Haters gonna hate. 

Dia 20 – Cite 3 livros especiais na sua vida. Fale sobre eles.
Clarissa, de Érico Veríssimo - esse livro é o motivo de eu ter o nome que tenho. Tenho um exemplar dele desde que nasci. Pode até ser alguma força do meu subconsciente, mas realmente me identifico muito com a personagem e com a forma leve que ela leva a vida.
O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger - esse é bem clichê, mas Holden Caulfield ainda é o personagem que eu mais me identifico no mundo.
Fernão Capelo Gaivota, de Richard Bach - meus pais leram esse livro para mim quando eu era criança e eu nunca esqueci da história.

Dia 21 - Cite 3 personagens literários favoritos. Fale sobre eles.
Holden Caulfield, de O Apanhador no Campo de Centeio (J. D. Salinger) - já falei ali em cima.
Hercule Poirot, de Agatha Christie - como não amar esse detetive ultra perfeccionista e meticuloso? <3
Pollyanna, de Eleanor H. Porter - sei que é brega, mas adoro a forma como essa menininha vê o mundo.

Dia 22 – Cite 3 escritores que você gosta. Fale sobre eles.
Não sou muito apegada a escritores em geral, acho que só a Agatha Christie: história de mistério estão entre as minhas favoritas e né, a Agatha é a "Rainha do Crime".

Dia 23 - Com que frequência você lê fora de sua zona de conforto? Você costuma abrir os horizontes para novos escritores, gêneros, países quando o assunto é leitura ou você lê sempre o mesmo dos mesmos?
Costumo ler livros bem variados e não acho que eu tenha uma "zona de conforto".

Dia 24 – Cite um livro que você achou que não iria gostar e acabou adorando. Fale sobre ele.
O Código da Vinci, de Dan Brown. Não posso dizer que amei, assim. Nada de muito especial na história. Mas tinha certeza que era uma porcaria. Aí encontrei ele no apartamento que alugamos em Paris e comecei a ler ele quando estava lá. Foi muito legal reconhecer os lugares que estavam descritos no livro e poder  visitar os que eu ainda não tinha conhecido. Acho que isso foi o mais legal de tudo. 

Dia 25 – Cite um livro que você achou que iria gostar e acabou não gostando. Fale sobre ele.
Trainspotting, de Irvine Welsh. Decidi ler o livro depois de ver o filme. E aí não gostei. Já sabia tudo que ia acontecer. Detestei a forma que o livro é escrito, também. Cheio de palavrões. De drogas. Sei lá. Adoro o filme, no entanto. Hahaha. Weird.

Dia 26 – Fale de alguns hábitos literários seus.
Não consigo dormir sem ler alguma coisa. Costumo dobrar as bordas dos livros para marcar as páginas, coisa que sei que agonia a maioria das pessoas, então só faço isso nos meus (pode me emprestar que eu não faço, tá?). Não tenho apego aos livros depois que li eles e empresto para todo mundo. A maioria dos meus momentos livres para leitura são em transportes públicos e aulas (hihi), por isso sempre ando com o livro da vez na bolsa. 

Dia 27 – Cite um livro que você gostaria de ler mas que por algum motivo nunca leu. Por quê?
O Iluminado, de Stephen King. Não é o tipo de escritor que me agrada, mas sempre tive curiosidade de ler esse livro. Não leio porque tenho medo. Sérinho. É por isso que também nunca tive coragem de ver o filme. Sou muito medrosa.

Dia 28 - 5 livros que estão na tua pilha de “vou ler”.
Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez.
As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky. Li esse post no blog Crying Lightning e fiquei muito interessada.
A Queda, de Diogo Mainardi. 
Os Mandarins, de Simone de Beauvoir.
- insira sua sugestão aqui :) - 

Dia 29 - Qual foi o último livro que você comprou? Fale sobre ele.
Cupcakes, da Larrousse. Comprei ontem na Feira do Livro. Tem umas receitas bem legais <3

Dia 30 - Qual o livro que você leu esse ano que menos gostou? Fale sobre ele.
O Cemitério de Praga, de Umberto Eco. Razões lá em cima.

Dia 31 - Qual o livro que você leu esse ano que mais gostou? Fale sobre ele.
Paris é uma Festa, de Ernest Hemingway. Falei sobre ele aqui.