Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2013

coisas que só eu faço

1. Esquecer que foi de carro pra faculdade e pegar um ônibus pra voltar. Se dar conta no meio do caminho, ter que descer do ônibus e voltar para buscar o carro.
2. Levar o cachorro para tomar banho na pet shop e quando chegar lá perceber que esqueceu o cachorro.
Pelo menos tenho saúde. Só que não, tô gripada.

vantagens de ter uma lomo

UPDATE: o blog está mais apresentável, mas as imagens dos posts passados vão continuar assim por mais uma semana ainda :/

Direto me esqueço de revelar um filme e ele fica um tempão parado por aqui. Adoro a surpresa de achar umas fotos perdidas que nem lembro quando tirei. Às vezes pode ser meio ruim, esses dias revelei um filme velho da Holga que tinha fotos minhas com um ex-namorado. Estou muito bem agora e fiquei feliz de relembrar esses momentos, mas se eu tivesse mandado revelar logo depois do término ia ser bem triste. Detalhe que o namoro acabou faz bem mais de 1 ano. Quando levei na loja tive que escolher no negativo do filme as fotos que queria revelar. Como no negativo não dá pra ver muita coisa, lembro que ainda falei pro cara "Meu, esse filme é tão velho que eu nem sei quem estou beijando nessa foto aqui." he-he.
Enfim, tinha um outro filme da Diana Mini que estava perdido por aqui faz muito tempo e encontrei umas fotos bem legais que também nem lembrava que tinha tirado...
Diana Mini - Cidade Baixa 2 - Porto Alegre/RS 
Essas fotos foram tiradas na Cidade Baixa em uma oficina de lomografia que participei uma vez (faz mais de um ano eu acho). Ela ficou inversa porque escaneei o filme do lado errado. Foi intencional, as cores ficam diferentes, foi tipo um cross processing moderno :) Eu sempre escaneio dos dois lados e essa foi a foto que mais gostei.
Diana Mini - Cidade Baixa 4 - Porto Alegre/RS
Depois do Esse é o "ensaio sobre pontos turísticos de Porto Alegre" esse é o "ensaio sobre placas de Porto Alegre". Brinks, só tem essas duas fotos.
Diana Mini - Cidade Baixa - Porto Alegre/RS
Diana Mini - Cidade Baixa - Porto Alegre/RS
Essas são as fotos preferidas da minha carreira lomografística (he-he). Sempre quando tento sobrepor duas fotos eu queimo o quadro do filme (he-he2) e só tinha conseguido fazer uma vez com a Holga (e sem querer he-he3). Acho que essas duas ficaram boas porque o dia estava meio cinza. Sei lá. Eu realmente já desisti de entender as lomos e os motivos de elas saírem de um jeito ou de outro.
Diana Mini - Pipeline na Redenção 2 - Porto Alegre/RS
Diana Mini - Pipeline na Redenção - Porto Alegre/RS
Diana Mini - Pipeline na Redenção 3 - Porto Alegre/RS
E aqui o "Ensaio sobre Pipeline na Redenção", he-he. Esse cusco é tão lindo :) Um dia vou fazer um post só com fotos que ele está feio, tem umas muito engraçadas. A última foto escaneei com o filme torto sem querer e no fim gostei do resultado :)

Obs.: estou ignorando o fato de que as imagens do blog estão erradas, mas pretendo ajeitar em breve.

O-D-I-A-D-A NOVAMENTE

Deu problema de novo nas imagens aqui do blog, cabisbaisha.
As fotos do último post estão ok e vou tentar resolver as imagens do layout do blog, mas o resto vai ter que ficar assim com essa imagenzinha revoltante dizendo que eu sou popular. Só que não, Photobucket.
Decidi participar do 30 Days Writing Challenge, do blog Spleen Juice (vi no Bonjour Circus). Já escrevi razoavelmente bem na minha vida e parece que perdi essa aptidão. Vamos ver se consigo retomá-la :)
Beijo no coração de vocês :*


UPDATE: ACABEI DE ME DAR CONTA QUE HOJE O BLOG COMPLETA DOIS ANOS!
Ê, PARABÉNS PRA NÓS :)

o que fazer em nova york

OQUEFAZEREMNYC1
Finalmente saiu o micro "guia" de Nova York. Coloquei guia em aspas porque né, pra agente de viagens eu não sirvo. Como o post sobre Buenos Aires, vou só falar de coisas que conheço e que recomendo. Decidi não falar sobre museus e coisas básicas, isso dá pra encontrar em qualquer blog/site por aí. Pelo mesmo motivo ainda estou pensando sobre falar de lugares pra fazer compras ou não. Eu gosto muito do viajenaviagem para dicas de viagem no geral. Resolvi separar o post em duas partes: Manhattan e Brooklyn.
OQUEFAZEREMNYC5
A dica mais econômica que posso dar sobre Nova York é não se hospedar em Manhattan. Os hotéis da ilha são caros e os quartos são pequenos. Alguns não tem nem wi-fi ou frigobar. Claro que a localização provavelmente vai ser boa, mas eu prefiro mil vezes ficar num hotel mais confortável ainda que tenha que me locomover mais. Vai depender do tipo de viagem que você quer fazer. Se você for ficar pouco tempo talvez seja melhor estar em um lugar mais central que você possa se locomover a pé para os pontos turísticos principais.
Se hospedar no Queens é muito legal e você ainda pode conseguir uma vista maravilhosa. Da última vez que visitei a cidade me hospedei no Z Hotel NYC, hotel muito legal. São de lá essas fotos.
OQUEFAZEREMNYC8 
Imagina ter Manhattan na sua janela? Sensacional. Como não tem nenhuma estação de metrô por perto, eles tem um ônibus que sai de uma em uma hora do hotel e leva para uma zona bem central da cidade. Quando você quer voltar, é só pegar o ônibus no mesmo lugar. Tudo de graça. Já fiquei em outros hotéis no Queens (recomendo o Ramada) que ficavam perto de uma estação de metrô e que depois de 2 paradas você já chega na Times Square. A terceira é a Quinta Avenida com o Central Park. Ou seja: é muito perto de tudo e o preço compensa muito.
OQUEFAZEREMNYC3
Uma coisa bem turistona que acho que tem que ser feita é subir em algum prédio para ver Nova York de cima. É bonito demais e você consegue ter uma idéia da dimensão da cidade. É uma coisa bem selva de pedra mesmo, nunca vi nada igual. Dos que fui, ainda não sei qual é o mais legal. Do Rockefeller Center você vê o Empire State, mas não vê o Chrysler Building. Do Empire State Building você vê o Chrysler mas não vê o, dã, Empire State. Acho que é tudo uma questão de escolher qual você quer ver mais :)

OQUEFAZEREMNYC2
Outra coisa bem turistona é o Central Park... Ahhh, tão lindo! Fiz uma pequena seleção de fotos que tirei por lá:
1. O zoológico é um pouco fail. Quer dizer, até que é legal, mas acho que tenho que aceitar que não tenho mais idade para fazer esse tipo de programa sabe. Hahaha. O rei do Zoo é o urso polar. Não tem leão, girafa, zebra ou hipopótamo. MADAGASCAR É UMA FARSA, GEMTY! Hahaha.
2. A pista de patinação parece bem legal (sou meio medrosa e não tive coragem de ir). Uma coisa engraçada sobre o Central Park (sobre Nova York em geral) é que parece que o Donald Trump é dono de tudo. Hahaha. Sério. Você está lá num parquinho qualquer no meio de qualquer lugar quando se depara com uma plaquinha "Este espaço é mantido pela Trump Corporation".
3. É bem legal passear por lá e reconhecer várias locações de filmes também. Essa ponte onde eu estou correndo enlouquecidamente (he-he) aparece em vários filmes. Esqueceram de mim é o primeiro que me vem a mente <3
4. Tome cuidado com os esquilos, eles podem roubar a sua comida quando você menos espera. Ter um micro surto toda vez que vê um esquilo é coisa de turista tupiniquim, mas eu não consigo superar, sempre acho eles fofíssimos. Gosto de chamá-los por nomes, esses são o Gandalf e o Frodo.
5. Abril é o mês das cerejeiras e tem um monte por lá. Nunca tinha visto árvores tão lindas :)
6. A estátua da Alice é lindinha, muito maior do que eu esperava. Não tem nada de mais, é só uma estátua, mas se você é fã de Lewis Carroll provavelmente vai gostar.
7. O parque fica meio ruim de passear no inverno por causa da neve, mas sinceramente? Eu acho lindo :) Coisa de turista tupiniquim também né, ver neve e se emocionar. Mas é tão bonito os lagos congelados, os bonecos e as adultas idiotas como eu crianças fazendo guerra de bola de neve. Adoro.
8. O memorial Strawberry Fields foi criado pela Yoko Ono e fica em frente ao Dakota Building, local onde John Lennon morreu. É bem bonito. Não sou hiper fã de Beatles, mas é difícil não se emocionar um pouquinho.
A verdade é que todos os caminhos levam ao Central Park. Sério. Às vezes você está ali, de bowie na lagowie, passeando em um bairro e quando vê dá de cara com o parque. Aí você pode adentrar ele sempre que ele aparecer e conhecer um pouco... Se você estiver na Quinta Avenida, aproveite para ir no zoológico e conhecer a pista de patinação. Se você estiver no MET, aproveite para ir na Estátua da Alice e ver o lago. Se você estiver no Museu de História Natural, aproveite para ir no Strawberry Fields Memorial e, consequentemente, no Dakota Building. Você também pode tirar um dia inteiro para conhecer o parque, tem muita coisa pra ver. Vai depender se: você gosta de parques e vai ficar tempo suficiente para "perder" um dia inteiro por lá. Faça um piquenique, largue o mapa, leia todas as declarações de amor nos bancos e caminhe por tudo. Você vai cansar muito, mas vai ser super especial. Dá pra alugar uma bicicleta, passear de barquinho, fazer tour de lugares famosos dentro do parque... Muitas opções :)
Outras dicas:
1. Um programa bem legal para fazer de noite é assistir um Stand Up Comedy. Eu fui no Gotham Comedy Club e foi ótimo. Não é caro e eu consegui ingresso para o dia. Fica perto do Chelsea Hotel também, que já foi casa de Bukowski, Bob Dylan e muitos outros personagens da cena artística. Ele ainda está em funcionamento, mas é também um ponto turístico bem interessante e você pode aproveitar para conhecer.
2. Você pode pegar o Staten Island Ferry de graça e ver a Estátua da Liberdade bem de pertinho sem precisar gastar um milhão de dólares para ir até a ilha.
3. Eu acho meio obrigatório assistir um musical na Broadway. Na Times Square tem uma loja de ingressos da Tkts que vende várias entradas com um super desconto. Igual sai caro, mas é um espetáculo inesquecível.
4. Muitos museus (como o MET, o mais famoso e cheio de obras incríveis) recebem subsídios altíssimos do governo para se manterem e, em consequência, não precisam cobrar ingresso. Isso não está escrito em nenhum lugar e muita gente paga achando que é obrigatório. Na verdade os preços são "sugeridos" e se você quiser pagar 1 dólar ou nada a opção é sua.
5. Você tem que encarar o metrô. Pode parecer idiota para alguns, mas eu, moradora de Porto Alegre - terra sem lei transporte público de qualidade metrô - tive bastante dificuldade em entender esse treco. Agora já me considero expert em metrôs, mas a primeira vez que visitei a cidade foi um pouco assustador. Aquele mapa do metrô é uma enorme teia de aranha, mas a Aragogue underground não morde não. Ela é muito prática e rápida, aliás. Você compra o passe dependendo de quanto tempo vai ficar - recomendo muito o passe ilimitado de 7 dias, ainda que você vá ficar uns 5 dias. Analise sua localização e se você realmente pretende andar muito de metrô, mas pra mim sempre valeu mais a pena do que o passe diário ou único. Ah, importantíssimo: SEMPRE fique à direita na escada rolante do metrô. Você pode estar tranquila e sem pressa, mas outras pessoas vão querer passar por você. Percebo também que dependendo da situação pode até valer a pena pegar um táxi. Se você está em 3 pessoas e vai andar uma distância curta é provável que saia mais barato pegar um táxi do que pegar um metrô. Táxi em Nova York não é tão caro, mas não dá pra contar muito com eles nos horários de pico (16h até 18h), porque não é tão fácil assim de conseguir um.
6. Nunca esqueça de dar gorjeta. A cultura americana é muito diferente da nossa em relação a isso, mas tem que ser respeitada. Eu sei que pode doer, tipo assim, gastar 40 reais em gorjeta num jantar (dependendo do valor da conta isso pode acontecer), mas se você não está afim de gastar com isso é melhor comer no Mc Donald's. Para não ficar calculando dobre o valor dos taxes. Taxes são os impostos, eles vem discriminados separadamente na conta. Em Nova York, no geral, os impostos são de 8% do total da compra. Como o ideal de gorjeta é de 15 a 20%, você estaria pagando 16%. Se você não pagar o suficiente, um micro chinês vai vir correndo atrás de você na rua te xingando e te chamando de bitch. Yep, aconteceu comigo. Tenham medo.
7. Se prepare para caminhar. Claro que você pode pegar um táxi ou ir de metrô para todos os cantos, mas Nova York, além de ser inteira plana e fácil de bater perna, é uma cidade legal de ser desbravada. Você pode encontrar uma coisa que te interesse em qualquer cantinho. Sempre verifique a possibilidade de ir a pé para o seu próximo destino.
8. Verifique com o seu cartão de crédito se você tem direito a um seguro saúde. Tem muitos cartões que fornecem de graça esse serviço se você pagar a passagem com ele. Acho bem importante você viajar com um seguro porque né, infelizmente qualquer coisa pode acontecer. O sistema de saúde americano é caríssimo e você pode passar por algum perrengue. Ah, e né, não se esqueça de informar seu banco que você está indo para o exterior.
Agora vamos para minha parte preferida:
OQUEFAZEREMNYC4
COMIDA! YES!
Nova York é uma capital gastronômica mundial e você pode encontrar todo tipo de comida por lá. Fuja dos restaurantes caça-turista, como os que ficam na Times Square ou na Quinta Avenida: caros e ruins. Se você não quer gastar muito, recomendo as Delis e os Food Carts. Nas Delis você encontra de tudo, desde um buffet cheio de coisinhas gostosas até sopas e sanduíches. Muitas delas tem espaços para sentar, mas você pode comer em um banco na rua mesmo que ninguém vai te julgar. Encontre uma Deli que faça um bagel Nova Scotia (com salmão defumado). Eu amo bagel do fundo do meu coração e queria comer esse todos os dias da minha vida. Os Food Carts também são demais, mas você tem que saber onde ir porque alguns não tem nada de mais. Gosto muito do Biryiani. Os carrinhos de comida indiana são ótimos, claro que não comi em todos, mas sempre tive boas experiências.
Se você estiver afim de gastar um pouco mais e ir em um restaurante legal recomendo o Sylvia's, de Soul Food. Ele fica meio longe de tudo, mas vale muito a pena a ida até o Harlem.
No Shake Shack comi o hamburguer mais delicioso da minha vida. Tem vários pela cidade. O hamburguer de cogumelos é tipo Deus na terra.
OQUEFAZEREMNYC6
Para gordisses você pode ir na clássica Magnolia Bakery. Eu gosto muito de um sabor chamado Hummingbird, que tem abacaxi, banana e nozes na receita. A combinação soa ruim, mas é delicioso. Eles fazem muitos cupcakes temáticos também, como esse da foto de Bonequinha de Luxo. Emoção. Outra coisa gostosa é o Banana Pudding. Impossível comer inteiro sozinho, dá pra dividir entre 5 pessoas, juro. O Cake Boss Cafe é gostoso também. Eu adoro o Buddy e sempre assisto os programas dele. Os Molly's Cupcakes andam bem famosos por lá, mas o que eu achei legal mesmo foram os cake pops.
Outros lugares bons para comer:
1. Vincent's: restaurante italiano em Little Italy. As porpetas são especialíssimas.
2. Mamoun's Falafel: melhor e mais barato falafel que já comi na vida. Fica no bairro Greenwich Village, também conhecido por ser o bairro com a maior concentração de belíssimos homens por metro quadrado. Vale a visita. Hahaha.
3. Chelsea Market: é tipo uma "feira" fechada cheia de restaurantes e vendas de todos os tipos. Difícil escolher onde vai comer. Você pode estender para o High Line Park que é muito próximo.
4. Eataly: tipo um mix de restaurante/mercado italiano. Lota bastante, é bom chegar antes do meio-dia para não ter que esperar na fila dos restaurantes.
5. Delmonico's: Deli 24 horas perto da 5ª Avenida. Ótima para os momentos de aperto.
6. Dean & DeLuca: famoso e caríssimo mercado culinário. Os sanduíches são ótimos. É legal ir lá e ficar procurando algo que você possa pagar sem escorrer uma lágrima. Mas se o desafio for vencido, vai valer a pena.
7. Baked by Melissa: mini cupcakes. Tipo realmente minis assim, do tamanho do seu dedão. Achei engraçadinhos.

É isso, espero que gostem e que seja útil para quem esteja planejando conhecer a cidade em breve :)
Tem outros posts sobre Nova York aqui no blog, é só clicar aqui.
Atenção: essas são apenas minhas impressões do pouco tempo que fiquei por lá. Pelo amor de Deus, façam sua pesquisa e tirem suas próprias impressões antes de decidir fazer alguma coisa que recomendei.

instagram pictures #10

Meu username é lileord, se alguém quiser me seguir.
Amor canino. Pipe tá tão gorducho, dá pra ver nessa foto o panceps. Vou mandar ele pro The Biggest Looser canino. 
Ultimamente ando me sentindo bem segura pra encarar algumas coisas na costura. Já estou até querendo fazer uns bonequinhos.
A corujinha ficou muito fofa. Eu sou zero perfeccionista, então se você analisar assim, fria e calculadamente, está meio mal costurado. Foi a primeira coisa mais elaborada que fiz e achei que no geral ficou muito bom. Pelo menos está bonita :)
O monstrinho da direita ficou legal também. Minha mãe me deu um livro muito inspirador chamado "Indie Craft" cheio de coisinhas feitas a mão por artistas independentes. Lá encontrei essa lojinha de monstrinhos queridos chamada ninon. Decidi fazer algo nesse sentido, sem nenhuma pretensão de ficar tão legal quanto porque né, não tenho tantas habilidades costurísticas (he-he, palavra idiota) e não sou tão criativa. No fim ficou parecendo um cachorrinho. Minha mãe amou :) Foi ela que fez o cachecolzinho (eu não sei tricotar).
E em tempos de frio Pipeline resolve se afofar nos meus travesseiros, mirando especialmente na almofada lindíssima que minha mãezinha tricotou pra mim. Digno de um rei. Ninguém merece.
Aí fiquei com pena e pensei em fazer uma roupinha quentinha pra ele. Ele tem várias roupinhas, mas a maioria são camisetinhas que não esquentam nada, é só para eu exercitar meu lado Paris Hilton de ser mesmo. Esses dias ele ganhou de uma amiga minha um blusão. Para fazer a roupinha, usei um tecido de flanela, peguei um molde qualquer na internet e deu certo. Também não está uma Brastemp, mas deu pro gasto. Agora tem fila de amigues atrás de mim querendo que eu faça roupinhas para seus respectivos cães :)
Outra coisa que costurei foi essa almofada do Ramones. Na verdade era uma camiseta minha que estava em vias de se auto destruir se fosse lavada na máquina mais uma vez. E né, em tempos de modernidade, o que não vai mais na máquina de lavar não vai mais em nenhum lugar porque tanque deveria ser abolido da face da terra. Aí fiz essa almofada aí. Na foto até que está ok, mas está bem podrinha. Não me orgulho muito, mas gostei de qualquer jeito.
E só para não perder o costume de postar mil fotos do Pipeline no Instagram, separei duas fotos que ele está usando chapéu. A primeira com a boina do namorado. A segunda com uma micro cartola que os caras da pet shop colocaram nele. Vê se eu posso com isso: Pipeline de fascinator. Muito amor.

era melhor ter ficado quieta...

Certeza que todo mundo já passou por isso. Aquele momento que você vomita alguma frase sem pensar  muito a respeito. Antes de terminar ela você enxerga um mini você correndo em sua direção em câmera lenta dizendo "nããããão". Mas aí a cagada já foi dita. Você tem três opções:
1) tentar consertar: complicado, grandes chances de piorar a situação.
2) fingir que não falou a besteira e seguir nervosamente o assunto: complicado, a pessoa pode ficar chateada com o que você falou e passar a te achar um idiota.
3) ser honesto: complicado, difícil ser verdadeiro sem pisar em alguns calos.
A verdade é que às vezes nem você sabe porque falou aquilo. Pode ser uma coisa que você estava pensando ali, na hora, mas que na verdade nunca tinha matutado (adoro esse verbo) muito sobre o assunto e assim que ouviu sua opinião rasa em voz alta se deu conta do absurdo. Às vezes você realmente falou alguma coisa certa, mas não teria motivos para outras pessoas saberem que é isso que você pensa. Você pode estar bêbado, de TPM ou particularmente ácido nesse dia. 
Às vezes você simplesmente está numa maré de azar. Tipo eu que uma vez fiquei reclamando muito (ok, reclamar muito soa bonito, estava metendo o pau mesmo) do programa de rádio que estava ouvindo com umas amigas até descobrir que uma delas era filha do locutor. Ou meu namorado que, ao ser apresentado para uma menina que não tinha um dos braços, sem perceber, estendeu a mão direita. A menina estendeu a esquerda e ele insistiu com a direita e, não satisfeito, falou "vamos dar um aperto de mão que nem gente!". Claro que isso tudo vira piada entre nós. Aquela minha amiga nunca foi muito minha amiga e o programa de rádio realmente é uma porcaria, até ela admite. E a menina do braço achou muita graça e falou que estava acostumada com esse tipo de coisa. Eu tenho um milhão de histórias de foras desse tipo e é sempre engraçado contá-las. Um amigo diz que eu sou a Bridget Jones tupiniquim.
Mas volta e meia você fala alguma bobagem que magoa alguém. Tipo quando você vomita para aquela amiga meio surtada apaixonada que o cara claramente não está afim dela. Ela tem que saber, mas você tem que saber falar.
Você também pode falar uma bobagem que automaticamente te transforma num idiota. Tipo um amigo meu que acredita que muitos problemas se resolveriam com um controle de natalidade obrigatório. Discordo muito, mas é uma opinião válida e não transforma ele num idiota. Ele estava meio bêbado e meio exaltado e chegou a dizer que mulheres que já tem mais de X filhos deveriam ser forçadas a fazer ligadura de trompas. Aí ele automaticamente virou um idiota.
Eu não sei vocês, mas isso me acontece com mais frequência do que eu gostaria. O fato de eu perceber e, consequentemente, me arrepender das bobagens que às vezes falo me deixa pelo menos um pouco menos idiota. Mas continuo uma idiota. E disso me envergonho.
Acho que todo mundo, quando criança, já ouviu de alguma mãe/avó/tia: "se não tem nada de bom para dizer, é melhor ficar quieto". Desde que deixei de ser a dona do mundo e de achar que podia sair arrotando tudo que viesse na minha cabeça por aí levo isso comigo. Dou uma escapadela aqui e ali, mas percebo que a quantidade de vezes que engasgo com uma bobagem dessas é muito maior do que a quantidade de vezes que eu efetivamente solto elas. Me orgulho um pouco disso, mas vou me orgulhar mais no dia que eu parar de falar bobagens por aí.
Esse texto vai pra todas as pessoas que perderam mil e uma oportunidades de ficarem quietos. Um beijo :*