Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

diarinho

Mais um post com fotos ruins de celular :(
A cachorra Giu voltou pra casa dela depois de passar quase 15 dias comigo e eu sinto saudades dela todo dia :(
Ainda bem que tenho essas patinhas chulézentas pra amar. Gente, cês sabiam que cachorro tem chulé que nem gente? O Pipe pelo menos tem hahaha.
APRENDI A FAZER MACARONS E AGORA NINGUÉM ME SEGURA. Eu já tinha tentado fazer umas vinte vezes e falhei miseravelmente em todas. Ganhei de presente da minha irmã um curso de macarons e finalmente saiu. Emoção.
Claro que os que eu fiz em casa não ficaram tão perfeitos como os que fiz no curso (foto anterior) com ajuda do professor, né, minha gente :~ the struggle is real. Essa semana eu tento de novo e se não ficarem perfeitos não me chamo Clarissa.
Gostaria de deixar registrado que o professor do curso de macarons era meio mano do rap e foi a coisa mais divertida do mundo ver um mano do rap confeitando mini docinhos delicados coloridos.
Pantufas de estimação numa vibe iluminatti.
IMPORTANTE: Quem tá acompanhando Game of Thrones? Um sonho: Daenerys, Serpentes de Areia e Sansa reunidas contra o patriarcado e conquistando o trono de ferro. AQUI TORCENDO.

brilho eterno de uma mente sem lembranças

Esse post foi escrito as duas da manhã de uma segunda-feira. Chance de estar bom? Zero. Fica o aviso.
Esses dias lembrei de um dos momentos mais awkward da minha vida:
Estava com um grupo de pessoas e uma delas começou a contar que tinha feito um aborto e aos poucos foi ficando um climão e eu não estava entendendo nada e depois percebi que o pai do feto abortado era um dos meninos que estava no grupo e ele nunca soube de nada e estava questionando ela sobre datas e percebendo naquele momento e as pessoas começaram a levantar e sair porque as pessoas sabiam e eu não sabia e eu fui ficando porque não estava entendendo até que ficou só eu e o casal (que já não era mais um casal) e eu CONTINUEI FICANDO porque CONTINUEI NÃO ENTENDENDO e começou a voar farpas e a rede que eu estava era tão confortável e por um triz o conforto físico não superou o desconforto emocional e quase que eu continuei ficando mesmo assim.
Outro momento bem awkward da minha vida foi quando eu vi o pai de uma amiga no shopping, pensei em ir lá dar oi mas optei por não dar, depois fui no cinema e quem estava sentado do meu lado? O pai da minha amiga. Pensei que era um sinal do universo pra eu dar oi pro velho e falei OI TIO e dei um beijo de oi nele que foi meio errado e se transformou num semi selinho e ADIVINHA? NÃO ERA O PAI DA MINHA AMIGA. A mulher do clone do pai da minha amiga fez um barraco porque, convenhamos, eu grudei o marido dela no escurinho do cinema. Eu fiquei completamente abobada sem reação e aí perguntei pra ele se ele não era o pai da Carol e ele disse que não, que ele era o pai do Lucas, e apontou pro Lucas que estava sentado do lado da mãe dele que estava me xingando e ADIVINHA? O LUCAS ERA UM SEMI-CONHECIDO que nunca mais me deixou em paz depois disso. Lucas, eu sou louca, mas tua mãe é mais. O pai de Lucas que não é o pai de Carol foi fofo e me pediu desculpas pela esposa barraqueira, no entanto. Eu pedi desculpas por existir praticamente.
Eu sou a rainha desse tipo de mal-entendido porque não gravo a cara de ninguém, é uma barra.
Outra vez passei a noite toda com a namorada de um amigo que eu não conhecia, ficamos todos pelo menos umas 6 horas juntos conversando e fazendo festa. No outro dia encontrei o casal de novo sem querer na rua e ME APRESENTEI pra menina como se não conhecesse. Não fazia nem 24 horas.
Minha vida é esse brilho eterno de uma mente sem lembranças literal.
Coisas que eu não esqueci: que beijei o pai do Lucas no cinema em 2001, que levei um fora em 2005, que puxei minhas próprias palmas em uma apresentação de trabalho em 2009.
Coisas que eu esqueci: meu cpf, meu número de telefone que é o mesmo desde sempre e é quase minha data de nascimento, meu cachorro na pet shop (o que pra mim é tipo esquecer filho na escola).
Claro que as coisa que é pra esquecer nóis não esquece.

fedor

teu cheiro foi a única coisa que ficou
lutei contra ele depois de muito tempo que tu foi embora
teu cheiro no meu quarto, nas minhas cobertas, nas minhas roupas
tudo que era meu tinha teu cheiro
mesmo depois que lavei tudo, ele ficou
demorei a perceber que teu cheiro estava dentro de mim
não consegui me lavar por dentro
da próxima vez, leva teu cheiro embora
e deixa todo o resto que tu levou de mim

livros de 2016 #3

Esse ano comecei a fazer resenhas dos últimos livros que li à medida que vou lendo. Clique aqui para parte 1 e parte 2.
Me adiciona no skoob? :)
9. As Boas Mulheres da China - Xinran
Descrição: Entre 1989 e 1997, a jornalista Xinran entrevistou mulheres de diferentes idades e condições sociais, a fim de compreender a condição feminina na China moderna. Seu programa de rádio, 'Palavras na brisa noturna,' discutia questões sobre as quais poucos ousavam falar, como vida íntima, violência familiar, opressão e homossexualismo. Xinran colheu inúmeros relatos de mulheres em que predomina a memória da humilhação e do abandono - estupros, casamentos forçados, desilusões amorosas, miséria e preconceito. (fonte)
Livro bem triste e barra pesada sobre a vida das mulheres na China na época da revolução cultural, que aliás, completou 50 anos essa semana. São relatos de mulheres diferentes que viveram vidas diferentes, mas todas tem coisas em comum. Preciso dizer que foi bem angustiante ler esse livro, fiquei bem mexida com as histórias. Achei incrível como a autora consegue jogar relatos horríveis na nossa cara de forma sensível. Até pesquisei pra ter certeza que as histórias são verdadeiras e parece que são. Além de tudo, gostei de saber mais sobre a história da China, que achei bem contada e relativamente imparcial.
Difícil de engolir. Importante ler.

10. A Vida do Livreiro A.J. Fikry - Gabrielle Zevin
Descrição: Uma carta de amor para o mundo dos livros. “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos. (fonte)
Um livro pra quem gosta de ler. Paralelamente à história, muitos livros e contos são citados. Coisa mais linda :) A história é bem bonitinha embora tenha achado um pouco maluca demais. Acho que cada pessoa tem uma cota de coisas extraordinárias que acontecem com ela e o A. J. Firky ultrapassou essa cota. Senti a mesma coisa com O Pintassilgo. Acabou ficando ficcional demais e eu gosto de livros mais realistas. O que não é um problema, isso sou eu, e mesmo assim amei o livro.
O livro é mais curtinho do que o que estou acostumada a ler e eu gostei. Vou tentar ler mais coisas curtas de agora em diante.
A Vida do Livreiro A. J. Fikry me foi indicado aqui no blog pela Vera e gostaria de dizer que amo meus leitores que só me indicam coisas maravilhosas <3 mandem mais.

11. Reze Pelas Mulheres Roubadas - Jennifer Clement
Descrição: Contundente retrato do México atual, Reze pelas mulheres roubadas mostra a dura vida das mulheres na região de Guerrero, a mesma onde mais de 40 estudantes foram mortos em 2014. Narrativa ficcional escrita a partir de mais de 10 anos de pesquisas da autora, o livro acompanha a história da menina Ladydi, que aos 11 anos vê sua melhor amiga ser roubada para o harém de jovens escravas de um chefe do narcotráfico. É para evitar esse destino que as mulheres da região, e de outros recantos esquecidos pelos governos, deixam de frequentar a escola, cortam os cabelos ou até mesmo se mutilam, a fim de ficarem menos femininas e passarem despercebidas aos olhos da elite do tráfico. Escrito em tom de observação antropológica, sem qualquer julgamento moral sobre as atitudes dos personagens. (fonte)
Eu não sei porque raios entrei num vortex de livros problematizadores sobre machismo e a condição feminina em países pobres e agora não consigo sair disso, hahaha.
Esse livro, apesar de ficcional, tem embasamento na realidade. A história é absurda e tristíssima, fala sobre como uma região violentíssima do México foi dominada pelo tráfico e pelo crime a ponto de destruir a vida das famílias que moravam lá desde sempre. A pobreza e o medo permeiam todas as relações familiares. Pesadíssimo.
Esse livro também é curtinho, li em uma madrugada de insônia.

12. Para Poder Viver - Yeonmi Park
Descrição: Yeonmi Park não sonhava com a liberdade quando fugiu da Coreia do Norte. Ela nem sequer conhecia o significado dessa palavra. Tudo o que sabia era que fugir era a única maneira de sobreviver. Se ela e sua família ficassem na terra natal, todos morreriam - de fome, adoentados ou mesmo executados. Park cresceu achando normal que seus vizinhos desaparecessem de repente. Acostumou-se a ingerir plantas selvagens na falta de comida. Acreditava que o líder de seu país era capaz de ler seus pensamentos. Aos treze anos, quando a fome e a prisão do pai tornaram a vida impossível, Yeonmi deixou a Coreia da Norte. Era o começo de um périplo que a levaria pelo submundo chinês de traficantes e contrabandistas de pessoas, a uma travessia pela China através do deserto de Gobi até a Mongólia, à entrada na Coreia do Sul e, enfim, à liberdade. Neste livro, Yeonmi conta essa história impressionante pela primeira vez. Uma história repleta de coragem, dignidade - e até humor. (fonte)
Falei que tinha entrado num vortex?
A história da luta para sobreviver de uma norte-coreana "desertora" (é como eles chamam quem foge da Coreia do Norte). É divido em 3 partes: infância na Coreia do Norte, fuga na China (que tem uma política de devolver norte-coreanos fugitivos para o seu país de origem, o que faz com que sejam mortos ou presos em campos de trabalho forçado pro resto da vida) e liberdade na Coreia do Sul (que tem uma política de reintegrar norte-coreanos fugitivos em seu próprio país). Achei interessantíssima a parte sobre a Coreia do Norte, um país tão fechado que só podemos imaginar o que acontece lá dentro. É pra entender melhor como um país de 25 milhões de habitantes acredita tanto em um ditador (spoiler: não acredita).
Achei a história triste e incrível. A menina está sendo perseguida pela Coreia do Norte apenas por ter contado a verdade. Precisamos parar de fingir que o que acontece na Coreia do Norte não está acontecendo ou que está muito distante da nossa realidade. Precisamos olhar pra esse país.

hoje é meu aniversário :)

Hoje é meu aniversário :) a cada sei lá quantos anos meu aniversário cai numa sexta-feira 13 e acho super tétrico e sempre amo <3
Acabaram os posts programados e catei no meu celular algumas fotos pra postar aqui.
Pra quem é de Porto Alegre: um amigo abriu um café maravilhoso no Menino Deus, o Liberty Café. Recomendo muito. Peçam o capuccino de Nutella e depois me agradeçam.
É sério gente, peçam. Olha isso.
Esse último dia das mães foi o primeiro na vida que passei longe da minha mãe (ela está morando fora. Amo falar ~morando fora~, é tão misterioso) e minha irmã fez esse almoço pra gente comer chorando de saudades dela hihihi. Tava tão gostoso :)
Plmdds, Pipeline e Giu são a melhor dupla do mundo.
Altas probabilidades de eu nunca mais devolver essa cachorra pro meu amigo. Fazendo planos de fugir com ela pro México.
Olha que foto linda e bem tirada sqn. Sopa de abóbora com curry e pão naan improvisado. Tô pensando em fazer essa receita naquele post de receitas fáceis, que vocês acham?
Cês viram minha bicicleta nova? Tô aos poucos me apegando a ela. Tenho saudades da outra, mas ela ficou em família e posso visitar ela quando eu quiser <3
Vamoa aplaudir a pessoa que pegou um spray e pichou na parede SAPATÃO?
Achei tão AMOR essa foto de um casal de amigos :)
No mais: 
E eu que descobri que além do livro Clarissa de Érico Veríssimo existe outro livro Clarissa de Samuel Richardson que é um romance epistolar (like a sir) que é um clássico da literatura americana? Vou ler ou vou ler? Não vou ler porque tem 1534 páginas ain't nobody got time for that.
Inception: grupo chato da família de whatsapp falando mal dos seus outros grupos chatos de família do whatsapp. Não faz sentido.
Drama real: quero muito uma bota over the knee, mas nenhuma serve nas minhas coxas :~
Aliás, tenho amado nome de roupas/sapatos, não pode mais ser uma bota cano longo, é bota ~over the knee~. Esses dias uma atendente tentou me vender uma ~bota tratorada~. Plmdds. Sem contar que pantalona curta é ~pantacurts~. Só consigo amar.
Eu sou amiga de umas gentes supostamente ~famosas~ em Porto Alegre, tipo SOCIALITES provincianos, Lala Rudges do fim do mundo, e uma gente dessas chegou em outro amigo meu que é da área de moda e ele não quis ficar e essa pessoa prometeu ~contatos~ e ~matérias no jornal local~ em troca de beijos HAHAHAHAH sei lá, talvez ninguém ache engraçado porque não conhece as gentes, mas só queria compartilhar a fofoquinha hilária.
A quem interessar possa, eu fiz snapchat. Sou cacahendges lá. Não posto muito, mas me segue?

Como as pessoas matam e roubam em um mundo onde tem pugs?

Gente, e a frequência de posts nesse blog? O que tá acontecendo comigo? Finalmente virei uma blogueira de respeito? Mentira, fiz uns posts ~em avançado~ e já estão acabando, logo isso aqui vai ficar às moscas de novo :~
Um casal de amigos na mesma viagem ao Rio conheceram: Ricardo Tisci, Joutjout, Biel, Inês Brasil e Costanza Pascolato. Invejo. Quando fui pro Rio vi um mendigo cagando na Praça XV.
Famosos que já encontrei: Família Lima e Gabriel O Pensador.
Cada vez sinto mais vontade de entrar no twitter mas sinto que é a mesma coisa que quando chego na boate às 3am e só tem gente completamente drogada e/ou vomitando e eu ali pagando de gatinha.
Vi uma pug com prognatismo na pet shop e eu acho que nunca vi nada mais fofo. Como as pessoas matam e roubam em um mundo onde tem pugs? - Esse é um questionamento sério.
Falando em cães, vou ficar cuidando durante 10 dias da Giu, buldogue do meu amigo, e não vejo a hora. Muitas fotos dela e do Pipe se matando em breve. Mentira, eles são bffs <3
Perguntei pra uns amigos se eles seguiam a Chloe no Instagram e engatamos numa conversa sobre a Chloe, que ela tá cada dia mais linda e eu concordando até que eu disse E COMO ELA TÁ GRANDE NÉ e depois de um pequeno momento de confusão percebemos que eles estavam falando da Khloe Kardashian e eu estava falando dessa Chloe:
De minha parte achei sucesso que minha referência de cultura pop para 'Chloe' é a Chloezinha e não a Khloezona.
Entrei numas de virar vegetariana e desisti depois de umas 5 horas quando comi um pão com mortadela sem perceber.
Também entrei numas que só vou ler escritoras mulheres a partir de agora até o final do ano, alguém indica? :)

tag: mulheres na literatura

Vi essa tag lá no blog Finding Neverland e adorei :) era pra ter sido respondido no dia da mulher, mas como esse navio já zarpou tô respondendo hoje mesmo porque sou fora da lei.

1. Minha autora preferida
Eu queria muito dizer J. K. Rowling mas vou dizer Agatha Christie mas vou dizer J. K. Rowling mas vou dizer Agatha Christie mas vou dizer J. K. Rowling mas vou dizer ........... Não consigo, indicar uma seria trair a outra :(
É porque Agatha Christie foi a autora que mais li coisas, que mais esteve presente na minha vida, que eu mais gostei de ler. A J. K. Rowling me transformou em uma leitora, em uma pessoa que gosta de ler. Amo as duas.
Meu Deus fui procurar uma imagem bonitinha das duas pra colocar aqui e fui parar nesse artigo sobre similaridades entre elas e tô aqui hiperventilando de emoção.

2. Uma autora que eu gostaria de ler
Eu tentei de verdade com todo o empenho e dedicação possível ler Simone de Beauvoir, mas não deu gente. Não deu.
Esse dia há de chegar.
Eu visitei o túmulo dela e do Sartre em Paris no Cemitério Montparnasse, no entanto. Vale alguma coisa? (não.)

3. Um livro com uma protagonista feminina incrível
Eu amo a Holly Golightly, personagem de Bonequinha de Luxo, de Truman Capote. Acho incrível a forma como ela vê a vida :)
Só pra deixar claro que a Holly do filme, que está em busca de um marido rico, é bem diferente da Holly do livro, que está em busca de liberdade. Mas amo a do filme também por motivos de: Audrey <3

4. Uma personagem feminina que me inspira
Vou dar uma resposta bem bobinha mas honesta: Pollyana, de Eleanor H. Porter. Gosto muito da ideia de que todas as coisas na vida tem um lado bom e procuro esse lado bom em tudo. Li Pollyana quando tinha uns 8 anos e foi com ela que aprendi a ser positiva. Tenho uma vontadinha de reler, mas tenho medo de achar bobinho demais e arruinar o livro pra mim.

5. Uma personagem com a qual me identifico muito
Clarissa, de Érico Veríssimo.
Esse romance é o motivo pelo qual tenho o meu nome. A história de vida da Clarissa, de Érico Veríssimo, é completamente diferente da história de vida da Clarissa, de Carla e Paulo. Mesmo assim, sempre que releio esse livro percebo que somos duas clarissas do mesmo saco. É como se a minha personalidade tivesse sido pré-determinada pelo nome que escolheram pra mim. Por mim tudo bem, porque acho que todo mundo deveria ser um pouco Clarissa - a do livro. Se a Clarissa não fosse assim, tão como eu, será que eu também não seria diferente?

6. Uma personagem forte/corajosa
Embora ache que a tag fale especificamente de personagens fictícias, o primeiro livro que me veio à cabeça foi Eu sou Malala, de Malala Yousafzai. Acho que todo mundo conhece a história dela, mas essa menina teve coragem de lutar pelos seus direitos em uma sociedade completamente opressora e, mesmo tendo sofrido consequências horríveis por causa disso, não teve medo e seguiu sendo porta-voz da causa que mais acreditava. Maravilhosa.

7. Meu livro preferido com uma protagonista feminina
Desde que li Americanah, de Chimamanda Ngozi Adichie, ele entrou na minha lista de preferidos. Falei sobre o livro aqui.

8. Um livro com uma mulher decidida
Eu amo a auto-confiança da Fermina Daza, de O Amor nos Tempos de Cólera, do Gabriel García Márquez. Isso ela mais velha, não quando ela ainda mora com o pai. Quando ela quer uma coisa ela quer. E se não quer mais, não quer mais também. E é isso que tem pra hoje. Queria ser mais assim, não tão amarrada a promessas. Queria ter a classe dela também. Que mulher.

9. Um livro com uma mulher inteligente
Vou colar a resposta da Vic e dizer: Hermione <3

10. Uma personagem que faz tudo por amor
Tô aqui chocada que não consegui pensar em nenhuma e me dando conta que faz anos que não leio um romance ~romântico~, só romance problematizador hahaha. Alguém indica um água com açúcar bem delícia pra eu ler? <3

Também me inscrevi no Book Club, um grupo onde um monte de meninas falam sobre literatura e todo mês tem postagens coletivas e livros para resenha. Achei bem legal <3

the vintage closet

Tenho gostado cada vez mais de tirar fotos e me meti a tirar umas pro site da minha amiga, o The Vintage Closet. Eu ainda sou bem amadora, mas achei que algumas ficaram lindas. A modelo ajuda também né, que guria bem linda plmdds. E o set também né, que casa bem linda plmdds (é a minha, hihihi).
The Vintage Closet é o brechó de uma amiga (falei sobre no último post). Ela é maravilhosa, tem um olho muito bom pra roupas e cobra um valor bem justo, indico muito.
Já contei pra vocês de quando o cara do ar-condicionado tava pendurado na minha janela e SOLTOU A CORDA e eu tive que PUXAR ELE PRA DENTRO com toda minha (não) força pra ele não MORRER? Então...
A gata se empoleirando na minha sacada e eu quase tendo um avc pensando MIGA CÊ NÃO MORRE AÍ TÁ PLMDDS.
Essas duas são minhas preferidas, especialmente a da esquerda com toda uma vibe Natalie Portman em Closer <3 Esse vestido da direita é o mais bonito que eu já vi, queria pesar 50 quilos a menos (hahaha) pra poder usar ele.
Além de tudo, depois que eu assisti um documentário tristíssimo sobre a indústria da moda (The True Cost) tenho pensado duzentas vezes antes de comprar qualquer peça de roupa. A gente compra tanta porcaria barata achando que tá pagando pouco mas tem muita gente pagando muito caro por isso, inclusive com a vida. Parece bobagem, mas desde que comecei a rever minhas compras me sinto uma pessoa melhor. Espero que as pessoas comecem a se dar conta disso e tentem levar uma vida mais sustentável. Brechós e lojas artesanais são uma opção pra quem quer fugir dessa indústria e de tudo que ela envolve. Por isso que acho tão legal o brechó da minha amiga :)
A loja também tem instagram e página no face <3

what's in my bag #3

Fazia tempo que eu não fazia um what's in my bag aqui no blog (fiz aqui e aqui). Acho divertido ver o quanto cada vez mais fico mais minimalista no que eu carrego, hahaha. Também fiquei meio chocada o quanto virei desorganizada, antes tinha compartimentos pra tudo, agora no fundo da minha bolsa dá pra encontrar desde moedas e papéis de bala até sujeiras desconhecidas. Tenso.
Na bolsa levo: óculos, carteira, chaves, kindle, necessaire kawaii, caderno para anotações, caneta (sempre tem umas 5 na bolsa porque vou perdendo), balas (hallls preto basicamente) e celular (esqueci de colocar na foto).
Eu amo esse ray-ban vintage, comprei em uma feirinha de rua em Buenos Aires quando tinha uns 10 anos e estava todo errado, não tinha como usar. Daí depois de 15 anos (hahaha) mandei arrumar e agora não tiro mais ele.
Cês viram meu chaveiro do Chewbacca que coisa mais linda? Ganhei de um cara na loja de computadores quando fui comprar um negócio. Eu até agora não entendi se: ele quis me dar um presente ou se: tinha alguma promoção na loja que se gastasse X reais ganhava um chaveiro hahaha.
O gnominho de colocar na chave tenho faz muuuito tempo e nem lembro de onde é :)
Na necessaire levo: creme pras mãos, sorine por motivos de: rinite, álcool gel, corretivo, rímel, protetor labial, batom (Hue da MAC - é um rosinha cor de boca bem neutro), repelente porque mosquitos me amam e um espelho em formato de rosa.
Tenho usado direto essa bolsa linda do The Vintage Closet, brechó de uma amiga (algumas fotos do site fui eu que tirei hihi). Isso não é um publieditorial, é uma indicação de amor <3 O globo está aí só porque ele é lindo.